PIRACICABA, SÁBADO, 29 DE JANEIRO DE 2022
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

26 DE NOVEMBRO DE 2021

Autonomia administrativa da região marcou o surgimento da Câmara


Piracicaba saiu da condição de Freguesia de Santo Antônio para Vila Nova da Constituição, o que possibilitou a criação da Câmara Municipal de Piracicaba, em 1822



EM PIRACICABA (SP)  

Sessão na Câmara de Vereadores de Piracicaba, em décadas passadas

Sessão na Câmara de Vereadores de Piracicaba, em décadas passadas

Sessão na Câmara de Vereadores de Piracicaba, em décadas passadas

Sessão na Câmara de Vereadores de Piracicaba, em décadas passadas
Foto: Leandro Trajano (3 de 4) Salvar imagem em alta resolução

Sessão na Câmara de Vereadores de Piracicaba, em décadas passadas

Sessão na Câmara de Vereadores de Piracicaba, em décadas passadas
Foto: Sidney Jr (4 de 4) Salvar imagem em alta resolução
Salvar imagem em alta resolução

Sessão na Câmara de Vereadores de Piracicaba, em décadas passadas



A história da cidade e a conquista administrativa da Câmara Municipal de Piracicaba podem ser conferidas nos arquivos e documentos oficiais. Os registros estão inscritos em atas, preservadas e sob a guarda do Setor de Gestão de Documentação e Arquivo, ligados ao Departamento Administrativo, como por exemplo o registro da elevação do município de Freguesia de Santo Antônio para Vila Nova da Constituição, possibilitando a criação da Câmara Municipal de Piracicaba, em 1822.

O documento que garantiu a elevação da cidade de Freguesia à Vila faz parte de um livro que consiste em um compilado de manuscritos, tanto originais quanto cópias, que versam sobre a elevação, que ocorreu no dia 10 de agosto de 1822, e marcou o inicio da autonomia administrativa da região e a criação da Câmara Municipal de Piracicaba.

Este é um documento textual e manuscrito, de tamanho 21cm x 30cm, que tem como suporte o papel e que se encontra encadernado. A data da encadernação é de 21 de março de 1886, já a data de abertura do livro é de seis de agosto de 1822. Os documentos foram redigidos pelos escrivães do período e assinados por diferentes autoridades, como membros da Câmara e do povo de Piracicaba.

Dentre os aspectos gráficos é possível destacar que o manuscrito apresenta uma escrita humanística cursiva intermediária e que tem a letra dextrogira (inclinada à direita), como ângulo de escrita. O tamanho da letra é médio, com diferenciações que distinguem as minúsculas das maiúsculas.

ATA - A transcrição foi realizada linha a linha, seguindo as Normas Técnicas para Transcrição e Edição de Documentos Manuscritos, que oferecem diretrizes e convenções para a padronização das edições paleográficas. Na transcrição do documento a ortografia original foi mantida em sua íntegra, não sendo feita, portanto, nenhuma correção gramatical.

Optou-se por se desenvolver todas as abreviaturas, com acréscimos em grifo, os caudados foram transcritos como ss e s, as palavras que se apresentavam parcial ou totalmente ilegíveis, mas cujo sentido textual permitia a sua reconstituição, foram impressas entre colchetes, assim como as assinaturas em raso ou por extenso e rubricas foram transcritas em itálico.

A sigla Fl. representa a folha do livro, sendo o V a representação de verso e os números na lateral da transcrição fazem referência às linhas do documento original.

ACHADOS DO ARQUIVO - A publicação de parte do acervo do Setor de Gestão de Documentação e Arquivo, ligados ao Departamento Administrativo, integra a série "Achados do Arquivo", criada pelo setor de Documentação, em parceria com o Departamento de Comunicação Social, com publicações no site da Câmara, todas às sextas-feiras, como forma de tornar acessível ao público as informações do acervo da Casa de Leis.

 



Texto:  Martim Vieira - MTB 21.939
Supervisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583
Revisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583




Câmara

Notícias relacionadas