PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 29 DE JUNHO DE 2022
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

23 DE MAIO DE 2022

Vereadores pedem providências contra usuários de drogas em praças


Parlamentares também apontaram o abandono nesses locais e o aumento da população em situação de rua. Reunião ordinária desta segunda-feira teve 30 proposituras aprovadas.



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Os vereadores durante a 20ª reunião ordinária, nesta segunda-feira






A votação do requerimento 397/2022 motivou a manifestação de vários vereadores durante a 20ª reunião ordinária, nesta segunda-feira (23). A propositura, de autoria de Laercio Trevisan Jr. (PL), cobra da Prefeitura a manutenção e o reforço na segurança da praça Imaculada Conceição, na Vila Rezende, como forma de inibir a presença de pessoas que, segundo o parlamentar, têm cometido furtos de fiação elétrica, pichações e outros delitos.

A discussão sobre o tema levou vereadores à tribuna para reivindicar do governo Luciano Almeida (União Brasil) ações nas praças de Piracicaba a fim de combater atos de vandalismo, coibir o consumo de drogas e conter o aumento da população em situação de rua. Segundo Trevisan, a praça Imaculada Conceição "tem tráfico o dia inteiro, na cara dura". "Não pode os moradores continuarem sofrendo e ninguém passar pela praça por medo", comentou.

Para o vereador Fabrício Polezi (Patriota), a situação "está fora de controle". "Tem bandido no meio. Participamos de uma reunião com a diretora da escola Barão do Rio Branco porque tinha 'cracudo' invadindo e dormindo na escola. E não é só na praça Imaculada Conceição; hoje o cidadão não tem o direito de passar na praça porque o tráfico de drogas rola solto. A Polícia Militar e a Guarda Municipal têm que agir com firmeza; não adianta a polícia tirar e quando sai voltar tudo de novo", afirmou.

Também ao falar sobre as praças, o vereador Gilmar Rotta (PP) disse que Piracicaba "está virando São Paulo". "Em vez de resolver o problema, colocam grade no coreto. Já tiveram ali grandes apresentações e agora está tudo fechado com grade; os artistas não podem usar e os mendigos tomam conta da praça", afirmou o presidente da Câmara. "Todas as praças estão com problemas. Aconteceram ações no Centro, mas pessoas em situação de rua espalharam-se pela cidade inteira", acrescentou Pedro Kawai (PSDB).

Aldisa Vieira Marques, o Paraná (Cidadania), cobrou medidas abrangentes do Executivo. "A Prefeitura tem que aumentar o espaço para pessoas que não têm casa, para fazer um tratamento. Não pode só punir; a Prefeitura tem que entrar com suas obrigações. Já pediram para tirar o chafariz da praça, agora vamos pedir para tirar o coreto? Daqui a pouco vamos tirar tudo da cidade?", questionou o vereador, defendendo, contra o abandono, que o governo municipal mostre "que está dando atenção" para essas áreas.

Ao todo, a 20ª reunião ordinária teve 30 proposituras aprovadas: um projeto de decreto legislativo em discussão única e dois em redação final; nove moções e 13 requerimentos (sendo um em regime de urgência) em discussão única; um projeto de lei complementar e dois projetos de lei em segunda discussão; e dois projetos de lei em primeira discussão.

A pedido dos autores, foram retirados os requerimentos 410 e 411/2022 e tiveram a deliberação adiada o parecer contrário da Comissão de Legislação, Justiça e Redação ao projeto de lei 235/2021, por dez reuniões, e o requerimento 400/2022, por uma sessão. Já o requerimento 401/2022, que solicitava informações ao Executivo sobre o projeto arquitetônico da nova Pinacoteca, foi rejeitado por 11 votos a 7.

O distrito de Tupi foi tema da Tribuna Popular, ocupada por dois oradores: Antonio Carlos Angolini traçou um histórico da localidade, prestes a completar 100 anos de fundação, e Carlos José Marco da Silva chamou a atenção para os problemas que afetam a região.



Texto:  Ricardo Vasques - MTB 49.918
Supervisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583
Imagens de TV:  TV Câmara


Reunião Ordinária

Notícias relacionadas