PIRACICABA, SÁBADO, 24 DE FEVEREIRO DE 2024
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

09 DE NOVEMBRO DE 2023

Solenidade marca o Dia Municipal da Favela


Vereadora Silvia Morales entregou cinco homenagens nesta quarta-feira (8)



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (1 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (2 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (3 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (4 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (5 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (6 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (7 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (8 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (9 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (10 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (11 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (12 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (13 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (14 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (15 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (16 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (17 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (18 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) (19 de 19) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas
Foto: Rubens Cardia (MTB 27.118) Salvar imagem em alta resolução

Segundo dados de 2021, em Piracicaba 30 mil pessoas vivem em favelas






A Câmara Municipal de Piracicaba lembrou nesta quarta-feira (8) o Dia Municipal da Favela, por iniciativa da vereadora Silvia Morales (PV), do mandato coletivo A cidade é sua. A reunião solene realizada no Salão Nobre Helly de Campos Melges foi marcada pela entrega de cinco homenagens.

Os homenageados foram Cícera Maria Lopes, a Cicinha da Comunidade Renascer; Creuza Ferreira Leite de Paulo, da antiga liderança do Algodoal; Elisama Cilene Cordeiro Vieira, do Bosques do Lenheiro; Felipe Augusto Cypriano, voluntário na ação Ajuda do Bem; Maria Silva Lima, a Vó da Comunidade Esperança; e a assistente social Solange Maria Perin Fontanetti Aguiar.

Também foi proposta homenagem ao deputado Vicente Paulo da Silva (PT), o Vicentinho, entregue pela parlamentar na Estação da Paulista no último domingo (5), no Fórum Regional Moradia digna como saúde pública.

Logo no início do seu pronunciamento, a vereadora Silvia Morales solicitou um minuto de silêncio em solidariedade às mortes no conflito entre Israel e os palestinos.

Ela reforçou as pautas defendidas pelo seu mandato, como a luta pelos direitos das mulheres, o combate à LGBTfobia, a agroecologia e o meio ambiente. A reunião solene pelo Dia Municipal da Favela é proveniente do decreto legislativo 14/2022. A vereadora também é autora do projeto que deu origem à lei 9.657/2021, que instituiu o 4 de novembro como o Dia Municipal da Favela no Calendário Oficial de Eventos do Município.

Além disso, a vereadora apresentou alguns números relacionados ao tema: “Piracicaba tem um déficit habitacional expressivo, de 10 mil unidades, e praticamente 30 mil pessoas vivem em favelas”, lembrou, ao citar dados de 2021, do Plano Municipal de Habitação de Interesse Social (PMHIS). Silvia completou: “a moradia digna é um direito social e vamos continuar discutindo e defendendo.”

Ao se pronunciar em nome dos homenageados, Felipe Augusto Cypriano disse que antes de iniciar o seu trabalho como voluntário, em 2014, carregava o pré-julgamento de que os moradores de favelas eram pessoas ruins. “Hoje, indo em cada comunidade e conhecendo as pessoas, sei que trabalham de verdade, que lutam pelos seus ideais e sonhos”, declarou.

A vereadora Rai de Almeida (PT) fez menção à audiência pública realizada no mesmo dia pela Câmara, sobre o Orçamento proposto pelo Executivo para o ano de 2024. “Infelizmente, onde deveria ter bastante dinheiro para resolver muitos dos problemas de habitação em nossa cidade, não tem”, disse ela, ao afirmar que o desafio é batalhar para que essa realidade seja alterada.

Já o vereador Acácio Godoy (PP) destacou que o gabinete da vereadora Silvia defendeu a habitação digna, moradia de baixo custo, apoio técnico para as famílias de baixa renda fazerem seus projetos residenciais e a desapropriação de áreas de ocupação com recursos públicos, entre outros. “Antes de vir aqui celebrar, esse mandato defendeu arduamente todas estas lutas”, lembrou o parlamentar.

A secretária de Habitação e Gestão Territorial, Andrea Ribeiro Gomes, afirmou que a tentativa é a de honrar a história da Emdhap (Empresa Municipal de Desenvolvimento Habitacional de Piracicaba), extinta pelo Executivo no final de 2022. “Entendemos que uma moradia pública digna diminui a quantidade de gente nos postos de saúde, com ansiedade ou no psiquiatra. As políticas públicas estão olhando para isso”, mencionou, citando ainda que a cidade possui quase 100 comunidades.



Texto:  Rodrigo Alves - MTB 42.583
Supervisão:  Rebeca Paroli Makhoul - MTB 25.992


Homenagem Silvia Maria Morales

Notícias relacionadas