PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 10 DE AGOSTO DE 2022
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

14 DE JUNHO DE 2022

Grupo de Trabalho debate saúde mental materna


Rede de Atendimento e Proteção à Mulher se reuniu na manhã desta terça-feira (14)



EM PIRACICABA (SP)  

Salvar imagem em alta resolução

Reunião foi realizada on-line pela plataforma Zoom



A importância de sensibilizar a população para a saúde mental materna através de ações de conscientização e do fomento de discussões nos espaços públicos e privados foi debatida na reunião do Grupo de Trabalho (GT) da Rede de Atendimento e Proteção à Mulher, realizada na manhã desta terça-feira (14).

Ao abordar o tema, a psicóloga perinatal Rafaela Zucareli destacou que o ciclo gravídico puerperal (da gestação ao pós-parto) é o período de maior vulnerabilidade a adoecimentos mentais na vida de uma mulher. Segundo ela, tal período pode agravar condições prévias de saúde mental, como ansiedade, transtorno bipolar e entre outros, sendo uma importante janela para discussões sobre prevenção e promoção à saúde mental. “O Brasil apresenta taxas que variam em até 30% de depressão no período pós-parto”, afirmou.   

Para a psicóloga, é possível prevenir transtornos mentais no período perinatal de forma simples e com baixo custo, executando ações como pré-natal psicológico, psicoterapia, formação de rede de apoio, coletivização dos cuidados pré e pós-natais, prolongamento do acompanhamento pós-natal, educação perinatal continuada, cuidado psiquiátrico contínuo para portadoras de transtornos mentais graves.

Está em andamento na Câmara o projeto de lei 100/2022, de autoria da vereadora Rai de Almeida (PT), que institui o Mês Maio Furta-Cor, dedicado às ações de conscientização, incentivo ao cuidado e promoção da saúde mental materna. “Um dos objetivos da campanha é que a gente possa de alguma forma falar disso, conseguir chegar a ter políticas públicas onde essas mulheres possam ser atendidas, queremos que as mulheres tenham onde procurar”, afirmou Rafaela Zucareli.

Após debates, foi deliberado que o assunto será retomado na próxima reunião do Grupo de Trabalho, que também irá abordar o trabalho das doulas e o Programa Criança Feliz, do Centro Especializado da Saúde da Mulher (CESM). “Vamos convidar o secretário de saúde para que ele conheça um pouco dessas discussões que estamos fazendo aqui”, afirmou Rai de Almeida.

Combate à violência – As vereadoras Silvia Morales (PV), do Mandato Coletivo A Cidade é Sua e Rai de Almeida (PT) avaliaram positivamente a reunião promovida pela Procuradoria Especial da Mulher que teve a participação de representantes de diversas instituições públicas e privadas. “Uma ampla ação com mensagens de impacto em cartazes pode ser um incentivo para os estabelecimentos. As instituições saíram da reunião mais animadas, dizendo que vão bolar alguma coisa sobre cartazes”, elogiou Silvia Morales.

Reunião com o prefeito – O grupo de trabalho também debateu sobre a resposta das reivindicações apresentadas ao prefeito Luciano Almeida (União Brasil) em reunião ocorrida no dia 22 de abril. “O prefeito recebeu a nossa carta e deu uma resposta, nós vamos continuar esse diálogo com o serviço público e o Executivo para que possamos continuarmos a avançar”, disse Rai de Almeida.

A reunião do Grupo de Trabalho (GT) da Rede de Atendimento e Proteção à Mulher foi conduzida pela vereadora Rai de Almeida e teve a participação das vereadoras Silvia Morales (PV), Ana Pavão (PL) e de representantes do Poder Executivo, de ONGs e da sociedade civil. 

As vereadoras Rai de Almeida (PT), Silvia Morales (PV), Ana Pavão (PL) e Alessandra Bellucci (Republicanos) integram a Procuradoria Especial da Mulher que, juntamente com Conselho Municipal da Mulher e com o CRAM (Centro de Referência de Atendimento à Mulher), coordena o Grupo de Trabalho da Rede de Atendimento e Proteção à Mulher.



Texto:  Daniela Teixeira - MTB 61.891
Supervisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583


Mulher Procuradoria Especial da Mulher Ana Pavão Rai de Almeida Silvia Maria Morales

Notícias relacionadas