PIRACICABA, DOMINGO, 3 DE JULHO DE 2022
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

25 DE ABRIL DE 2022

Dia da Lembrança busca impedir esquecimento do holocausto judeu


Cerimônia deste ano será realizada na quarta-feira (27), no teatro do CLQ Colégio - Unidade Reserva Jequitibá, e terá palestra de sobrevivente do holocausto



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Davi Negri - MTB 20.499 Salvar imagem em alta resolução

Joshua Strul, romeno de 88 anos, participa do evento nesta quarta-feira



Um dos episódios mais trágicos e marcantes da humanidade, o holocausto judeu na Segunda Guerra Mundial (1939-1945), será rememorado no Dia Municipal da Lembrança, na próxima quarta-feira (27), às 19h, em cerimônia aberta ao público no teatro do CLQ Colégio - Unidade Reserva Jequitibá, localizado na avenida Cezira Giovanoni Moretti, 1100, na Reserva Jequitibá.

Instituída no município por meio da lei municipal 6316/2008 e, no calendário da Câmara Municipal de Piracicaba por meio do decreto legislativo 08/2011, a cerimônia é realizada anualmente desde 2009 e, segundo Daniel Rosenthal, membro da comunidade judaica e que conduzirá a solenidade deste ano, busca impedir que “o maior genocídio da humanidade seja esquecido e que algo assim volte a se repetir”.  

Segundo Rosenthal, o Dia Municipal da Lembrança atende a uma resolução da ONU (Organização das Nações Unidas), que sugere que em todo o mundo escolas e entidades sociais filantrópicas e assistenciais divulguem o que foi o holocausto, e "é uma forma homenagear a todas essas vítimas que nem sequer tiveram um funeral digno".

A solenidade deste ano será realizada com base no requerimento 291/2022, de autoria do vereador André Bandeira (PSDB), e terá como palestrante o sobrevivente do holocausto Joshua Strul, judeu romeno de 88 anos - à época ainda criança -, que mora em São Paulo desde a década de 1950. A palestra será mediada pelo professor de história da unidade, José Batista Daniel.

“É importante ressaltarmos que do total de 12 milhões de vítimas, 6 milhões, ou seja, a metade, foram judeus. Os outros 6 milhões foram as minorias: negros, católicos, homossexuais, ciganos, maçons, pessoas com deficiência física, testemunhas de Jeová, prisioneiros de guerra e outras minorias”, destaca Rosenthal.



Texto:  Fabio de Lima Alvarez - MTB 88.212
Supervisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583


Câmara André Bandeira

Notícias relacionadas