PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 25 DE MAIO DE 2022
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

07 DE DEZEMBRO DE 2021

Vereadora critica veto do governo à manutenção de direito do servidor


Vereadora Rai de Almeida (PT) fez uso da tribuna da Câmara nesta segunda-feira, na 50ª reunião ordinária.



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Vereadora Rai de Almeida (PT).






“Quero trazer aqui a triste notícia que é o veto do senhor prefeito ao benefício, que nós, nesta Casa, aprovamos para aqueles servidores que tiveram problemas de saúde da Covid-19” essa foi a fala da vereadora Rai de Almeida (PT), ao fazer uso dos 10 minutos regimentais nesta segunda-feira (6), na 50ª reunião ordinária da Câmara. 

A parlamentar ressaltou que não se trata de “bônus”, mas um reconhecimento a esses servidores que atuaram na linha de frente na pandemia. “Nesta Casa, inclusive, nós fizemos esse alerta, para que o senhor prefeito não vetasse, e o líder de governo, segundo veio a orientação, é que aqueles vereadores que são base, pelo menos que ele considera sua base, que pudessem votar, porque estava aberto o voto, pelo menos foi essa orientação que o líder de governo colocou nesta casa. Aí, soubemos da manifestação que estava prevista, que era para acontecer hoje, para que fosse sancionada a lei, infelizmente a informação que veio é que está sendo vetada, o veto vem para essa Casa”, disse. 

Em aparte o presidente da Câmara, vereador Gilmar Rotta (Cidadania), disse que a informação levantada pela vereadora ainda é extraoficial. “Houve essa fala dele, na  live (transmissão on-line), que ele estaria vetando, ele está ainda dentro dos 15 dias úteis, e até a data de hoje ainda não protocolou o veto. Ainda não temos uma manifestação oficial. O prazo deve vencer terça ou quarta-feira da semana que vem. Se ele vai vetar, ou se vai promulgar a lei, então, oficialmente, não tem nada protocolado na Casa.” 

Rai salientou que, embora não exista o protocolo do veto, já existe notícia de que o prefeito não vai sancionar a lei. “Como ele tem o prazo legal a lei, como a nossa última sessão camarária vai até o dia 13, se ele sancionar, tudo bem, se ele não sancionar, o presidente chama uma extraordinária, mas, pelo menos, eu já estou me manifestando, esperando para que o prefeito não vete, porque é um benefício importante para os servidores públicos municipais”, pontuou. 

Ainda durante sua fala na tribuna, a vereadora questionou a não renovação do convênio para o fornecimento de merenda nas escolas públicas estaduais. “E uma outra questão que eu soube, senhor presidente, é que está o prefeito, pelo menos a notícia de alguns professores e diretores, de escolas públicas estaduais, é que também não está renovando o convênio de fornecimento de merenda escolar para as escolas públicas estaduais. É verdade isso?”, questionou.

Gilmar Rotta informou que o Governo do Estado passará a fornecer a merenda.  “A partir de fevereiro, a merenda será assumida pelo Governo do Estado e o Município ficará com a merenda das escolas municipais”.

Também em aparte, o vereador Pedro Kawai disse que “foram várias diretoras que nos procuraram, é preocupante o prefeito abrir mão do fornecimento da merenda nas escolas estaduais”. 

“Nós precisamos buscar mais informações, porque a gente só tem tido notícias ruins, nos últimos tempos, das ações deste governo, são interrupções de contrato, fechamento da biblioteca, da pinacoteca, e tantas outras ações que nós temos tido notícias, não tem uma notícia boa nesta Casa, nós estamos aqui registrando essa questão, esperando que o senhor prefeito, no momento de crise que nós estamos, em que a pobreza assola no nosso país, a fome, a miséria, o desemprego, e todo tipo de mazela na nossa sociedade, e nós temos essas notícias que são bastante preocupantes”, concluiu Rai de Almeida.



Texto:  Pedro Paulo Martins
Supervisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583
Imagens de TV:  TV Câmara


Legislativo Rai de Almeida

Notícias relacionadas