PIRACICABA, TERÇA-FEIRA, 5 DE JULHO DE 2022
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

19 DE MAIO DE 2021

Secretários apostam na tecnologia para melhorar serviços públicos


Titulares da Semuttran, Semae e Ipplap apresentam planos de trabalho aos vereadores na tarde desta quarta-feira (19).



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (1 de 12) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (2 de 12) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (3 de 12) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (4 de 12) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (5 de 12) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (6 de 12) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (7 de 12) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (8 de 12) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (9 de 12) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (10 de 12) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (11 de 12) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (12 de 12) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 Salvar imagem em alta resolução


O uso da tecnologia na melhoria dos serviços públicos transita os planos de trabalhos da Semuttran (Secretaria de Trânsito e Transportes), do Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) e do Ipplap (Instituto de Pesquisa e Planejamento de Piracicaba). Os titulares das três pastas, respectivamente, José Vicente Caixeta Filho, Maurício Oliveira e Daniel Rosenthal participam de reunião com vereadores na tarde desta quarta-feira (19). 

Na abertura, o presidente da Câmara, Gilmar Rotta (Cidadania), salientou a série de encontros com os secretários municipais como uma oportunidade de parlamentares terem acesso ao planejamento da cada uma das áreas de atuação do Executivo. “Estamos dispostos a sempre dialogar e, como eu tenho dito, em buscar uma boa sinergia de trabalho”, disse. 

O secretário Caixeta Filho apontou a situação do transporte coletivo como um dos principais gargalos do setor no Município. Desde o rompimento do contrato com a empresa Via Ágil, ano passado, o serviço tem sido mantido emergencialmente com um acordo temporário, mas que foi renovado pela nova Administração em 2021 até que seja realizada a licitação definitiva. 

A reclamação é em torno da superlotação dos ônibus, em que mesmo com a diminuição de 90 para 40 mil usuários ao mês, por conta da pandemia, não só se mantém, como tem suscitado ainda mais reclamações. “Estamos falando com a indústria de metalurgia na cidade, para que a gente faça experiência de redefinições de horários de trabalho, tanto na entrada e saída, assim possamos melhorar essa situação”, argumenta. 

No entanto, o secretário entende que as soluções mais definitivas dependem de um conhecimento maior em torno das necessidades do usuário de ônibus. “Estamos apresentando dois aplicativos de smartphones, um deles, que se chama Conte Para a Semuttran, busca conhecer melhor as necessidades do serviço, inclusive para levarmos ao novo contrato de licitação”, disse. 

Ele defende que, no novo contrato do transporte público, a concessionária assuma novas responsabilidades, como a reforma e manutenção dos abrigos de ônibus, que ainda deverão construídos por quem assumir o serviço. 

Durante a apresentação, Caixeta Filho também anunciou o aplicativo Bus2, lançado recentemente, com o itinerário de ônibus do Município, em que é possível saber o horário de saída e chegada dos veículos, o trajeto das linhas e os pontos de ônibus mais próximos do usuário.

No projeto CicloVidas, em que a Semuttran anunciou o plano de implantar pelo menos 10 quilômetros de ciclofaixas ou ciclovias por ano, a tecnologia entra como aliada na pesquisa que está sendo desenvolvida para conhecer melhor as necessidades dos ciclistas. “Lançamos esse questionário no último dia 15 e, em apenas quatro dias, já tivemos quase três mil respostas”, disse. 

Responsável pelo Semae, Maurício Oliveira apontou que a cidade enfrenta, do ponto de vista de planejamento de médio e longo prazo, o desafio do abastecimento hídrico, sobretudo por estiagens previstas para o próximo ano. Mas ele destaca que, na relação com o munícipe, algumas das demandas poderiam ser solucionadas com melhora no contato com a autarquia. 

Dentre os projetos apresentados por Oliveira, um deles é o desenvolvimento de um aplicativo para smartphones com o intuito de facilitar o contato dos usuários com o Semae. Ao mesmo tempo, ele também enfatiza a necessidade de melhora a relação do número de reclamações por atendentes no Central 115, buscando redimensionar o setor e dar maior fluidez às informações. 

Outra melhoria é a partir de estudos, em parceria com a Universidade de São Paulo, para ter um conhecimento melhor do sistema. “O cálculo de perdas na Sabesp, onde eu trabalhei, é diferente do cálculo daqui, então precisamos ter uma percepção mais correta da realidade”, observa. Ele também questiona a falta do Censo 2021, o qual lhe forneceria informações valiosas. “Eu não sei dizer qual é a quantidade de água per capita porque não sabemos quantas pessoas têm, de fato, em Piracicaba”, aponta. 

A proposta do diretor-presidente do Ipplap, Daniel Rosenthal, é toda baseada em desenvolvimento tecnológico. Tanto para questões internas do órgão, como sistema digital de aprovação de novos projetos imobiliários, quanto a implantação do conceito “Cidade Inteligente”, previsto para os próximos 25 anos, com inclusão do programa Conectar, disponibilizando wi-fi em áreas públicas urbana e rural do Município. 

“Quando falamos deste conceito de ‘Cidade Inteligente’ precisamos sempre ter a perspectiva a partir do que podemos fazer dentro do nosso Município e não olhar regiões de fora, que estão em outras condições”, aponta.

Rosenthal defende a implantação de aplicativo para a gestão de núcleos irregulares, visando controle, esclarecimentos, objetivando soluções e “não limitado ao problema seguindo as leis municipal e federal”, diz. 

VEREADORES – Os parlamentares fizeram apontamentos e sugestões aos planos apresentados pelos secretários. A vereadora Rai de Almeida (PT) elogiou as propostas da Semuttran. “Interessante o plano de trabalho, ao conseguir implementar, com certeza teremos um outro modelo da mobilidade e, sem dúvida, o transporte coletivo é um calcanhar de Aquiles e é uma questão bastante crucial, com demanda grande”, disse. 

Na área de abastecimento, o vereador José Borges (Solidariedade) levantou a possibilidade do Distrito de Ártemis ser uma região possível para abrigar reservatórios. “Já havia um lá, desde 1977, que depois foi abandonado, mas ainda hoje tem uma infraestrutura, é um local importante que pode ser um reservatório não só para o distrito, mas para a cidade”, aponta.

Fabricio Polezi (Patriota) defendeu a inclusão de vans escolares no transporte público. “Eu apresentei esse projeto e, acredito, que seria possível pegar as vans cadastradas para fazer esse serviço alternativo, contribuindo para suprir esse gargalo do poder público”, disse. 

A vereadora Ana Pavão (PL) defendeu a constante melhoria do diálogo entre o secretariado e os parlamentares. “Eu fiquei sabendo pelo jornal o que seria feito na área de mobilidade em Santana e Santa Olímpia, por isso acho importante esse aviso para que possamos falar com nossos eleitores”, disse. 

Membro do mandato coletivo A Cidade É Sua (PV), Jhoão Scarpa elogiou o projeto CicloVidas. “Eu não vejo isso como desperdício de tempo ou de dinheiro, mesmo que as bicicletas sejam utilizadas para trabalhar, ou para lazer, eu sei que tem uma grande demanda na cidade”, apontou.

O vereador Thiago Ribeiro (PSC) destacou a necessidade do atendimento das reclamações dos contribuintes em torno da falta de água. “Recebi aqui uma demanda do bairro Santa Rita, onde uma moradora está dizendo que todo dia está faltando água à noite, ao ponto de ter que acordar às 5h para poder lavar a louça do jantar antes de ir para o trabalho”, disse. 

A vereadora Silvia Morales (PV), do mandato coletivo A Cidade É Sua, analisou a situação habitacional de Piracicaba. “Eu fico triste porque, desde 1991, eu milito nesta causa e sempre falam de planejamento”, disse. “Mas planos existem, o que existe é uma população que acaba ficando fora deste planejamento e isso cria todas as dificuldades que enfrentamos”, definiu.



Texto:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337
Supervisão:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337
Revisão:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337


Infraestrutura Urbana Trânsito e Transportes Legislativo Gilmar Rotta Ana Pavão Josef Borges Thiago Ribeiro Rai de Almeida Fabricio Polezi Silvia Maria Morales

Notícias relacionadas