PIRACICABA, SÁBADO, 29 DE JANEIRO DE 2022
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

18 DE NOVEMBRO DE 2021

Roda de conversa debate a "ameaça da ideologia de gênero"


Evento foi promovido no formato on-line pela Escola do Legislativo nesta quinta-feira (18).



EM PIRACICABA (SP)  

Salvar imagem em alta resolução

Evento aconteceu via Zoom e YouTube.





A Escola do Legislativo da Câmara Municipal promoveu nesta quinta-feira (17), uma roda de conversa sobre o tema "A ameaça da ideologia de gênero". Com direito a certificado de participação, o evento aconteceu no formato on-line, via Zoom, e teve transmissão simultânea pelo canal da Escola no YouTube

O encontro teve por objetivo questionar se, de fato, existe uma ideologia de gênero, além de diferenciar gênero, identidade de gênero e orientação sexual. A atividade teve como facilitadoras Célia Regina Rossi, professora associada do Departamento de Educação (área de Psicologia) do IB/UNESP, campus Rio Claro, e Érica Augustini, graduada em Pedagogia com habilitação em administração escolar e séries iniciais do ensino fundamental.

A roda de conversa foi mediada por Heliani Berlato, professora no departamento de Economia, Administração e Sociologia da Universidade de São Paulo, Campus Luiz de Queiroz - Esalq/USP, que é livre docência pela Universidade de São Paulo e doutora em Administração, na linha de Gestão de Pessoas, pela Universidade de São Paulo - FEA/USP (2011).

A vereadora Silvia Morales (PV), do mandato coletivo ‘A Cidade É Sua’, diretora da Escola do Legislativo, também participou da atividade. 

No dicionário, Célia Regina ressaltou que a palavra gênero é definida por um conjunto de seres ou objetos que possuem a mesma origem ou que se acham ligados pela similitude de uma ou mais particularidades.

De acordo com Érica Augustini, isso faz com que consideremos que na escola ou no currículo, o gênero é uma palavra muito ampla e que remete a vários conjuntos de objetos e seres e que não se restringem apenas aos temas relacionados à sexualidade. “Dessa forma, é importante refletirmos sobre quais gêneros estamos falando e nos reportando”, disse.

Na identidade de gênero, Érica explica que se trata de como a pessoa se identifica e se percebe diante do mundo. Entre elas podem estar o gênero masculino, feminino, transgênero, gênero neutro, não-binário, agênero, pangênero, genderqueer e two-spirit.

Segundo Célia Regina, para as ciências sociais, o gênero significa uma categoria social imposta sobre um corpo sexuado. “Temos que pensar que muitas pessoas são violentadas por terem uma identidade diferente daquela que achamos ser a ideal e não existe ideal. A maneira como as pessoas se identificam não é problema nosso”, pontuou.

Por definição, Érica Augustini apontou que no dicionário de política, a palavra ideologia pode ter dois significados: O primeiro é próximo do sentido negativo, advindo da discussão atual e que equivale a “falsa crença”, impacta sobretudo por convicções políticas; já o segundo fala sobre um conjunto de ideias e valores que nos auxiliam a enxergar a realidade.

No conceito sociológico, “ideologia de gênero” foi o termo elaborado com o intuito de compreender e criticar os processos de naturalização das relações de gênero, a subordinação das mulheres e a assimetria de poder e de acesso aos recursos por parte das mulheres em relação aos homens.

Célia Regina ressaltou que os países mais desenvolvidos no mundo discutem gênero nas escolas. Segundo ela, discutir gênero e sexualidade, prevenção à IST’s (Infecções Sexualmente Transmissíveis) é algo necessário. “Além desse respeito, nos países que discutem esses temas, existe um índice de violência e morte quase que zero”, completou.

Confira a palestra na íntegra, clicando no vídeo que acompanha a matéria. 



Texto:  Pedro Paulo Martins
Supervisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583


Escola do Legislativo

Notícias relacionadas