PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 29 DE JUNHO DE 2022
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

09 DE JUNHO DE 2022

Pesquisadores apresentam plataforma com dados gratuitos sobre solos


Map-Pira foi desenvolvido com a participação da Esalq-USP.



EM PIRACICABA (SP)  

Salvar imagem em alta resolução




Em evento da Escola do Legislativo na tarde desta quinta-feira (9), pesquisadores apresentaram o projeto Map-Pira, que reúne dados de solos de Piracicaba e região para uso gratuito por agricultores, professores, alunos, consultores, empresas, indústrias e Poder Público.

As possibilidades oferecidas pela plataforma foram detalhadas pelo professor doutor José Alexandre Demattê, docente titular do Departamento de Ciência do Solo da Esalq-USP (Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", da Universidade de São Paulo).

Também especialista em sensoriamento remoto e mapeamento de solos, ele concebeu o projeto em 1990, a partir da primeira carta de séries de solos do Brasil, desenvolvida com a participação da Esalq-USP.

Mas foram o financiamento da Fapesp e o apoio de instituições de vários Estados que permitiram que o Map-Pira fosse colocado em prática, com informações que abrangem Piracicaba e as vizinhas Charqueada, Iracemápolis, Rio das Pedras, Saltinho, Rafard, Mombuca e Capivari.

O sistema é resultado do cruzamento de "uma gama de metodologias", disse Demattê, já que, como ressaltou, "há mais coisas, além dos fertilizantes, que acontecem no solo e que impactam na sua qualidade". "Portanto, se você não tem a informação do solo como um todo, as decisões passam a ser muito empíricas e o grau de assertividade diminui", observou.

As informações levadas em conta pela plataforma incluem tipos de solos, características (como teor de areia, argila, mineralogia e carbono), volume de água retido, capacidade de troca de cátions, risco de erosão e grau de degradação das terras.

Tais indicadores, explicou Demattê, se enquadram para ajudar o produtor na definição de zonas de manejo, na agricultura de precisão, na alocação de variedades, no planejamento conservacionista, na irrigação e no planejamento ambiental. "Quanto maior o conhecimento do solo, maior a possibilidade de aumento da produtividade com qualidade ambiental", afirmou.

A consulta aos dados pode ajudar agricultores, consultores e pesquisadores a identificar, por exemplo, solos em Piracicaba e na região com maior capacidade de reter nutrientes para plantação ou com potencial de alta produtividade. "Se não sabe onde estão essas áreas, como vai plantar?", comentou o professor doutor.

Órgãos governamentais também podem se beneficiar do sistema. "Esses mapas ajudam os gestores de políticas públicas a saber o potencial da região inteira: onde se produz mais ou menos, em qual solo o produtor precisa de mais apoio", exemplificou.

A pesquisadora Merilyn Amorim explicou o passo a passo para acessar os dados do Map-Pira, por meio do endereço http://143.107.213.130/mappira/mapas.php.

O evento foi mediado pelo mestrando Lucas Greschuk e aberto pela vereadora Silvia Morales (PV), do mandato coletivo A Cidade É Sua, que é diretora da Escola do Legislativo. Cerca de 40 pessoas participaram simultaneamente da transmissão, feita pelo Zoom e pelo canal da Escola do Legislativo no YouTube.



Texto:  Ricardo Vasques - MTB 49.918
Supervisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583


Escola do Legislativo Silvia Maria Morales

Notícias relacionadas