PIRACICABA, DOMINGO, 7 DE AGOSTO DE 2022
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

09 DE MARÇO DE 2021

Moção repudia implantação de praça de pedágio na Hermínio Petrin


Pedágio será instalado entre as cidades de Piracicaba e Charqueada



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Davi Negri - MTB 20.499 Salvar imagem em alta resolução

Vereador Cássio Fala Pira (PL), autor da moção de repúdio






A moção de repúdio 39/2021 foi aprovada em regime de urgência durante a 1ª reunião extraordinária de 2021, nesta segunda-feira (8). De autoria do vereador Cássio Luiz Barbosa, o Cássio Fala Pira (PL), a moção é direcionada ao governador de São Paulo, João Dória (PSDB), e repudia a instalação de praça de pedágio na rodovia Hermínio Petrin (SP 308), que liga Piracicaba a Charqueada.

No texto da moção, Cássio Fala Pira destacou que a população de Charqueada depende de serviços essenciais que estão em Piracicaba, como hospitais, escolas, faculdades, cartórios e bancos. O vereador também destaca que não houve melhorias da rodovia para a implantação da praça de pedágio.

“Considero um verdadeiro retrocesso aos cidadãos que ali têm de transitar, principalmente diante desta situação de anormalidade em que vivemos devido a pandemia do novo coronavírus”, afirmou Cássio Fala Pira. Ele classificou a cobrança de pedágio na Hermínio Petrin como “uma medida insensata e insensível perante a população”.

Durante a 1ª reunião extraordinária de 2021, nesta segunda-feira (8), Cássio Fala Pira afirmou que muitas pessoas de Charqueada que trabalham em Piracicaba são autônomas e pediu a suspensão temporária do pedágio. “O povo não aguenta mais pagar tanto imposto, naquela rodovia eles só recapearam. O caminhoneiro já paga tanto imposto, muitos deles têm caminhão próprio, muitos deles pagam para trabalhar”, disse.

Em aparte, Paulo Camolesi (PDT) criticou a estrada que dá acesso aos bairros de Santana e Santa Olímpia, classificando-a como “um perigo”. Também em aparte, Rai de Almeida (PT) apoiou a moção de repúdio e disse que se posicionou contrária à instalação do pedágio desde quando a obra foi aprovada.

Fabricio Polezi (Patriota) discutiu a moção de repúdio, declarou achar “um absurdo” cobrar pedágio de motos e criticou o estado da alça de acesso aos bairros Santa Olímpia e Santana. “Contamos que o governador Dória possa adiar a cobrança e deixar a passagem livre para população de Charqueada”, afirmou.

Ana Pavão, em aparte, relatou ter visitado a estrada de acesso aos bairros no dia 27 de fevereiro e concordou que “a rota de fuga está muito ruim”. Laércio Trevisan Jr. (PL), também em aparte, lembrou que, antes das eleições, esteve nas manifestações em Santana e Santa Olímpia contra o pedágio.

Na discussão da moção, Gustavo Pompeo (Avante) afirmou que foi usado dinheiro público para arrumar a estrada e após as melhorias, a concessão do pedágio foi realizada. Em aparte, Pedro Kawai disse que em uma audiência pública em Rio Claro foi dito que o pedágio ia ser feito em outro local, o que não aconteceu. “Naquela audiência pública foi falado que os moradores das cidades teriam desconto, não é justo o pessoal de Charqueada pagar para trabalhar”, disse Kawai.

Gustavo Pompeo pediu para adicionar seu nome na autoria da moção de repúdio.  



Texto:  Daniela Teixeira - MTB 61.891
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Imagens de TV:  TV Câmara


Legislativo Cassio Luiz

Notícias relacionadas