PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 25 DE MAIO DE 2022
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

10 DE DEZEMBRO DE 2021

Moção apoia policiais paulistas diante de desvalorização salarial


Propositura de autoria do vereador Gustavo Pompeo (Avante) e vereadora Ana Pavão (PL) foi aprovada nesta quinta-feira (9)



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (1 de 2) Salvar imagem em alta resolução

Vereador Gustavo Pompeo (Avante)

Vereador Gustavo Pompeo (Avante)
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (2 de 2) Salvar imagem em alta resolução

Vereadora Ana Pavão (PL)

Vereadora Ana Pavão (PL)
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 Salvar imagem em alta resolução

Vereador Gustavo Pompeo (Avante)






Moção de apoio aos policiais paulistas diante da crise salarial foi aprovada nesta quinta-feira (9), durante a 51ª reunião ordinária da Câmara Municipal de Piracicaba. Os autores da moção 264/2021 são os vereadores Gustavo Pompeo (Avante) e Ana Pavão (PL), que indicam a necessidade da recomposição inflacionária dos salários de policiais militares, civis, científicos e penais do Estado de São Paulo. A moção será encaminhada ao secretário de Desenvolvimento Regional do Estado, Marco Vinholi, e ao presidente da Assembleia Legislativa do Estado, deputado Carlão Pignatari (PSDB).

O texto da moção argumenta que não há reposição inflacionária aos salários dos policiais paulistanos desde 2014, salvo dois reajustes de 4% em 2018 e 5% em 2020. De acordo com a propositura, o reajuste não é suficiente diante de uma inflação acumulada superior a 50%. A moção indica para uma defasagem mínima de cerca de 42% nas remunerações.

“Esta situação também afeta nosso município que possui um contingente policial subjugado pela penúria salarial, o que impacta em sua saúde física e mental, pelo seu endividamento, incapacidade de prover o sustento familiar e baixa autoestima pela sua desvalorização”, diz o texto da moção.

A propositura apresenta comparações com remunerações de policiais de outros Estados brasileiros que possuem PIBs (Produto Interno Bruto) inferiores ao Estado de São Paulo e o salário inicial é superior ao dos policiais paulistas. “Um soldado da Polícia Militar de São Paulo inicia sua carreira com um salário que equivale à metade do que é pago no Estado de Santa Catarina”, exemplifica a moção.

De acordo com o texto da propositura, outros estados em crise financeira já recompõem as perdas inflacionárias dos salários policiais, como o Rio Grande do Sul, Minas Gerais e o Rio de Janeiro, que estão prestes a anunciar o reajuste aos servidores para 2022. A propositura lamenta a falta de recomposição salarial pelo Governo Estadual. “Durante as eleições de 2018, onde o atual governador apresentou falsas promessas de fazer a rápida recomposição salarial (...), porém, quase findando seu ‘governo’, a promessa não foi cumprida”, diz o texto da moção.

Durante a 51ª reunião ordinária, a vereadora Rai de Almeida (PT), lamentou a política do Governos Federal e Estadual com os servidores públicos e destacou a necessidade da valorização destes trabalhadores. “Os policiais dão as suas vidas para defender a população. Então, de fato, que tenhamos uma política salarial e que sejam valorizados e que isso seja estendido a todos os trabalhadores”, disse a vereadora

“É o Estado mais rico e que menos paga para seus servidores”, disse o vereador Gustavo Pompeo sobre a política estadual durante discussão da propositura.



Texto:  Letícia Santin
Supervisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583
Imagens de TV:  TV Câmara


Legislativo Gustavo Pompeo

Notícias relacionadas