PIRACICABA, DOMINGO, 27 DE SETEMBRO DE 2020
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

13 DE JULHO DE 2020

Live aborda postura correta na comunicação empresarial na crise


Jornalista e empresária Luciane Anhão defendeu, no perfil do Instagram do Parlamento Aberto, "reinvenção" para se destacar no mercado.



EM PIRACICABA (SP)  

Salvar imagem em alta resolução

Segundo Luciane, empresa deve ter postura e querer se reiventar







“É um grande desafio para todos. Seja para os profissionais de saúde, para as donas de casa ou para os professores com muitos anos de magistério. Temos que olhar para o novo e nos reinventarmos”. Foi assim que a jornalista e empresária Luciane Anhão defendeu como as empresas devem agir diante de uma crise como a pandemia do novo coronavírus. Ela participou de live, no Instagram do Parlamento Aberto, na última sexta-feira (10) e explicou que o mercado empresarial deve ter postura para enfrentar nova rotina de trabalho.

Segundo Luciane, esse novo jeito de trabalhar afetou principalmente as grandes companhias, que se organizam no mínimo com um ano de antecedência e tiveram que se readaptar esse ano devido às consequências da Covid-19. “Por exemplo, uma empresa que funcionava apenas com a visita de vendedores e que não tinha um site, se ela parar, o ‘trem vai passar em cima dela’, seja ela grande ou não”, disse a jornalista.

A empresária usou este exemplo para contar que não são apenas as redes sociais que se destacam nessa nova etapa, mas também o WhatsApp, por exemplo, como uma forma de vender não presencial. “O que estamos orientando nossos clientes é: converse com sua equipe, seja ela de três ou três mil pessoas e busque ali funcionários que saibam se desenvolver nas redes sociais e nos aplicativos de interação”, orientou.

Esse momento, como citou a empresária, é o dos funcionários multitarefas, que conseguem realizar várias coisas ao mesmo tempo. Porém, é necessário paciência do lado do empresário para compreender que muitos não estavam preparados para a situação.

OUTRAS CRISES - Como jornalista e assessora de diversas empresas, Luciane citou que assim como a pandemia que é considerada uma crise, diante do “novo” que ninguém esperava, existem outras situações que a empresa passa e tem que lidar com surpresas.

Sejam elas um fato, uma denúncia, um boato e até mesmo uma tragédia (como em Brumadinho, por exemplo), segundo Luciane, é necessário que se pratique duas palavras muito importantes: calma e iniciativa. “Você tem que ter calma para entender o que aconteceu para assim tomar uma iniciativa. Se não tiver calma, você toma a iniciativa que não era a correta para aquele momento”, explicou.

A jornalista citou o exemplo da tragédia em Brumadinho, em que o presidente da empresa que causou o acidente se pronunciou. “Primeiramente a empresa tem que pensar em preservar as vidas e como vai comunicar isso para a imprensa. Na nova realizada comunicacional que vivemos, para tudo tem uma 'prova', ou seja, foto ou vídeo, por isso é preciso estar preparados para reagir em uma situação como essa", salientou.

Ela reforçou que hoje em dia os jornais publicam as informações muito mais rápido que antes, por isso as empresas tem que agir rapidamente. Ela orientou que mesmo que a empresa seja pequena, é crucial que se tenha uma pessoa que fique responsável para responder as redes sociais e se comunicar com o público externo. “Numa empresa maior isso é ainda mais importante para lidar com assuntos mais polêmicos”, disse.

Luciane explicou que a administração corporativa trabalha com três públicos: mercado, público interno e com a sociedade de forma geral. Se caso a empresa não converse com esses três, vai haver problemas. "Se você não conversar com seus funcionários e não ter um diálogo com a sociedade em geral, quando ocorrer alguma situação de crise será muito mais difícil de lidar. A palavra é se reinventar para lidar com os três públicos", disse.

Ela sugeriu que os funcionários e empresários pesquisem para ver o que os concorrentes estão fazendo antes de tomar uma decisão de fechar. "Defendo equilíbrio entre comunicação presencial e analógica. Acredito que quando tudo voltar ao normal as relações sociais serão mais valorizadas. Mas também defendo uma comunicação mais humanizada, onde o empresário tem que pensar no lado humano do funcionário", disse. 

O MUNICÍPIO - Ao final da live, a jornalista salientou alguns pontos da comunicação da cidade de Piracicaba que se reiventaram durante a pandemia. Ela citou o Parlamento Aberto, da Casa, com o desenvolvimento de lives e os boletins diários que a prefeitura divulga todos os dias no site institucional informando a situação da Covid-19 no Município. 

Ela também relembrou que a Rádio Difusora transmitiu recentemente um de seus programas pelo Instagram, intercalando ambiente estático com o online.

"Essa é a nova realidade que vivemos e também o grande desafio de hoje em dia: olhar para a empresa e ver o que pode ser melhorado", explicou. 

ACESSE O CONTEÚDO
As lives do programa Parlamento Aberto são realizadas no perfil do Instagram, que pode ser acessado em @parlamento_aberto.

As entrevistas também podem ser acessadas no canal do YouTube do Departamento de Comunicação da Câmara de Vereadores de Piracicaba e, ainda, no podcast produzido pela Rádio Câmara Web. 

Para receber as informações do Parlamento Aberto direto no celular, é possível se cadastrar na lista de transmissão do Whatsapp neste link.



Texto:  Ana Caroline Lopes
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Revisão:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337


Câmara Cidadania Cultura Educação Parlamento Aberto Coronavírus Transparência

Notícias relacionadas