PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 19 DE JUNHO DE 2019
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

01 DE FEVEREIRO DE 2019

Falta de água: vereadores visitam Estação de Tratamento no Capim Fino


Presidente do Semae apresentou justificativas aos seis parlamentares presentes



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (1 de 5) Salvar imagem em alta resolução

Parlamentares enumeraram bairros que sofrem com falta de abastecimento

Parlamentares enumeraram bairros que sofrem com falta de abastecimento
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (2 de 5) Salvar imagem em alta resolução

Parlamentares enumeraram bairros que sofrem com falta de abastecimento

Parlamentares enumeraram bairros que sofrem com falta de abastecimento
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (3 de 5) Salvar imagem em alta resolução

Parlamentares enumeraram bairros que sofrem com falta de abastecimento

Parlamentares enumeraram bairros que sofrem com falta de abastecimento
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (4 de 5) Salvar imagem em alta resolução

Parlamentares enumeraram bairros que sofrem com falta de abastecimento

Parlamentares enumeraram bairros que sofrem com falta de abastecimento
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (5 de 5) Salvar imagem em alta resolução

Parlamentares enumeraram bairros que sofrem com falta de abastecimento

Parlamentares enumeraram bairros que sofrem com falta de abastecimento
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 Salvar imagem em alta resolução

Parlamentares enumeraram bairros que sofrem com falta de abastecimento



Após o protocolo de dois requerimentos que cobram explicações do Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) sobre a falta de abastecimento de água na cidade, seis vereadores visitaram a ETA (Estação de Tratamento de Água) Capim Fino, no bairro Guamium, onde foram recebidos pelo presidente da autarquia, José Rubens Françoso, na manhã desta sexta-feira (1º).

Aumento no consumo nos últimos meses por causa do calor, perdas físicas, problemas de ar na rede e furto de água foram as justificativas dadas por Françoso aos vereadores Aldisa Vieira Marques, o Paraná (PPS), André Bandeira (PSDB), Dirceu Alves da Silva (SD), José Aparecido Longatto (PSDB), Osvaldo Airton Schiavolin, o Tozão (PSDB), e Jonson Sarapu de Oliveira, o Maestro Jonson (PSDB).

Somados a estes fatores, uma adutora se rompeu em 24 de dezembro, na avenida Cássio Paschoal Padovani, uma bomba queimou no distrito de Tupi, no mesmo período, como também ocorreu pane elétrica na ETA Capim Fino, no início de janeiro. No último dia 23, as fortes chuvas comprometeram a qualidade da água no rio Corumbataí, responsável por 80% do abastecimento da cidade, e provocaram excesso de turbidez na mesma estação.

Françoso garantiu que a água tratada pelo Semae é suficiente para atender a demanda da cidade. “Os problemas ocorreram por causa do acúmulo de casos. Não tem falta de água. Nós temos dificuldade de levar essa água da produção até as torneiras das residências”, disse.

Ainda segundo o presidente da autarquia, há um planejamento – para até o final de 2020 – de melhorias nas redes adutoras. Para a extensão foram comprados 12.500 metros de tubo. A primeira adutora, já para este ano, está em fase de licitação e consiste em 2.500 metros de tubos.

Durante a conversa, os parlamentares relataram ter recebido reclamações de falta de água em bairros como Algodoal, Sol Nascente, Cecap, Santo Antônio, Morumbi, Piracicamirim, Pauliceia, Novo Horizonte, Santa Fé, Nova Suíça, entre outros.

Os vereadores também receberam reclamações sobre o atendimento prestado por telefone pelo Semae. Atualmente, os canais 115 e o 0800-772-9611 funcionam 24 horas, porém as ligações só podem ser feitas de telefone fixo. Françoso reconheceu a necessidade de aprimoramento do serviço.

O vereador André Bandeira disse que a visita dos parlamentares à ETA teve a intenção de agilizar o atendimento à população, “para que não pairem dúvidas sobre a idoneidade do serviço prestado”. Bandeira destacou que o encontro não invalida o pedido para que Françoso compareça à Câmara no próximo dia 7, quando o expediente da reunião ordinária deve ser suspenso por até 30 minutos. Uma audiência pública também pode ser realizada, caso o tempo seja insuficiente e restem dúvidas, em 20 de fevereiro, às 14h. “O principal é que o Semae tem se colocado à disposição para atender as dúvidas”, completou.

Mesmo com todas as dúvidas respondidas, o vereador Paraná lembrou que outro problema é a distorção dos valores das contas de água de um mês para o outro. “O presidente do Semae sempre nos atendeu. Mas, o que nos explicou, não é o que queríamos ouvir. Não se trata de troca de hidrômetros e parcelamento das dívidas ao consumidor. A cobrança dos vereadores é por causa das contas absurdas, de gente que pagava R$ 40 e veio R$ 250”, disse. “O Semae está deixando a desejar em Piracicaba, sobre vazamentos nas ruas de toda a cidade. E quando conserta o vazamento, não faz o reparo asfáltico”, completou.

A exemplo do vereador André Bandeira, Tozão demonstrou satisfação com as explicações dadas por Françoso. “Infelizmente, ninguém é o tempo todo 100%. O Semae não é Deus, é um órgão público, que apresenta falhas, mas que está procurando soluções”, comentou ele, ao reforçar que a população deve acionar os parlamentares, caso o Semae não apresente respostas satisfatórias.

José Aparecido Longatto, que está no sexto mandato, disse que sua última visita ao local ocorreu em 1982, quando da inauguração, pelo ex-prefeito João Herrmann Neto. “Hoje a Estação está com mais tanques e tem capacidade suficiente para abastecer mais de 400 mil pessoas. Acredito que as providências adotadas pelo Semae irão resolver, entre 60 e 90 dias, os problemas pontuais de falta de água em algumas regiões da cidade.”

O vereador Dirceu Alves da Silva lembrou que a pressão da população tem sido grande nos últimos dias. “De certa forma, a explicação técnica foi convincente, mas o Semae não tem a estrutura para dar atendimento para a pessoa que está sem água e que vai receber o aumento na conta. O que a gente ouve na rua, no dia a dia, nos exige uma resposta rápida e por isso cobramos do presidente do Semae, para que monte quadros para dar amparo às reclamações”, avaliou o parlamentar.

Os vereadores não descartaram a possibilidade de percorrer outras estações de tratamento na cidade. Na avaliação de Jonson Sarapu de Oliveira, a visita foi importante para que os parlamentares pudessem entender a dinâmica de trabalho da autarquia. “A partir disso, poderemos ajudar, com sugestões ao poder público”, disse. Para ele, a principal demanda continua sendo no atendimento à população. “A gente percebeu que existe um déficit de informação por parte do Semae e esperamos que esse problema seja resolvido.”



Texto:  Rodrigo Alves - MTB 42.583
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tópicos: Meio AmbienteAndré BandeiraDirceu AlvesJosé LongattoJonson OliveiraOsvaldo SchiavolinAldisa Marques

Notícias relacionadas