PIRACICABA, SEGUNDA-FEIRA, 17 DE JUNHO DE 2019
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

10 DE JUNHO DE 2019

Exposição de fotos no Fórum promove conscientização sobre o vitiligo


Evento aberto nesta segunda-feira (10) até 14 de junho tem iniciativa do vereador André Bandeira



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Assessoria parlamentar (1 de 4) Salvar imagem em alta resolução

Após Fórum, exposição segue ao Senac

Após Fórum, exposição segue ao Senac
Foto: Assessoria parlamentar (2 de 4) Salvar imagem em alta resolução

André Bandeira explica o objetivo da exposição

André Bandeira explica o objetivo da exposição
Foto: Assessoria parlamentar (3 de 4) Salvar imagem em alta resolução

Após Fórum, exposição segue ao Senac

Após Fórum, exposição segue ao Senac
Foto: Assessoria parlamentar (4 de 4) Salvar imagem em alta resolução

Fotografias: inclusão e conscientização

Fotografias: inclusão e conscientização
Foto: Assessoria parlamentar Salvar imagem em alta resolução

Após Fórum, exposição segue ao Senac



O vereador André Bandeira, dando continuidade à programação com o tema “Vitiligo: Meu lugar ao sol”: fotografias que tratam da conscientização sobre a doença crônica, abriu a exposição nesta segunda-feira (10), no hall de entrada do Fórum de Piracicaba, situado à rua Bernardino de Campos, 55, e ficará até dia 14 de junho, sexta-feira.

O projeto é uma iniciativa do gabinete do vereador André Bandeira (PSDB),com apoio da Câmara de Vereadores, da idealizadora do projeto Vitiligo, Maika Celi, da fotógrafa Jenyffer Previtalli e das maquiadoras Regina Giácomo, Duan Nemeth e Pamella Perola.

Através da captação de imagens de 11 pessoas com Vitiligo, o projeto busca desmistificar as dúvidas sobre a doença, que é caracterizada pela perda da coloração da pele, causada pela diminuição de células produtoras de melanina, não contagiosa e indolor.

“Queremos quebrar esses preconceitos e tabus e conscientizar a população sobre o respeito com as pessoas que tem vitiligo”, disse o vereador André Bandeira.

Maika Celi Amancio acredita que a realização da exposição é imprescindível para uma maior conscientização sobre a doença e inclusão de pessoas com vitiligo. “A exposição trabalha a autoestima, o empoderamento, o amor próprio e mostra que pessoas com vitiligo podem viver uma vida normal e buscar o ‘seu lugar ao sol”, explica.

Também marcou presença na exposição o juiz de direito do Juizado Especial Cível e Criminal da Comarca de Piracicaba, Dr. Ettore Geraldo Avolio.

O projeto tem relação com o Dia Municipal de Conscientização Sobre o Vitiligo, implementado por meio da lei 9.161/2019, após projeto de autoria do vereador André Bandeira, que determina a instituição da data no Calendário Oficial de Eventos do Município.

O Dia Mundial do Vitiligo foi escolhido 25 de junho em alusão à morte de Michael Jackson, que sofria de vitiligo e lúpus.

VITILIGO -  não tem cura, mas há tratamentos que ajudam a reestabelecer a pigmentação natural da pele. Vitiligo é uma despigmentação da pele resultado de um processo auto-imune contra as células que produzem melanina, os melanócitos. A explicação exata do desenvolvimento desse processo ainda é desconhecida.

Diagnóstico

É essencialmente clínico, pois as manchas com pouca pigmentação aparecem geralmente em locais do corpo bem característicos, como boca, nariz, joelhos. O histórico familiar também é considerado. O diagnóstico deve ser feito por um dermatologista. Ele irá determinar o tipo de vitiligo do paciente, verificar se há alguma doença autoimune associada e indicar o tratamento mais adequado.

Tratamento no SUS

Consiste basicamente em interromper o seu avanço e se possível também, possibilitar repigmentação dessa pele. Quando conduzido de forma adequada a um profissional dermatologista, algumas pessoas que perderam a pigmentação de determinadas partes do corpo podem voltar a ter pigmento. O tratamento consiste na fototerapia com radiação ultravioleta ofertada em todo Brasil.

Prevenção

Não existem formas de prevenção do vitiligo. Como em cerca de 30% dos casos há um histórico familiar da doença, os parentes de indivíduos afetados devem realizar vigilância periódica da pele e recorrer ao dermatologista caso surjam lesões de hipopigmentação, a fim de detectar a doença precocemente e iniciar cedo o tratamento.

Em pacientes com diagnóstico de vitiligo, deve-se evitar os fatores que possam precipitar o aparecimento de novas lesões ou acentuar as já existentes. Evitar o uso de roupas apertadas ou que provoquem atrito ou pressão sobre a pele e diminuir a exposição ao sol. Controlar o estresse é outra medida.



Texto:  Assessoria parlamentar
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Revisão:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337


Tópicos: ExposiçãoAndré Bandeira

Notícias relacionadas