PIRACICABA, TERÇA-FEIRA, 5 DE JULHO DE 2022
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

10 DE SETEMBRO DE 2021

Centro Comunitário do Jardim Boa Esperança será denominado de Madalena


Projeto de Lei é de autoria do vereador Cássio Luiz Barbosa, o Cássio Fala Pira (PL) e co-autoria de Paulo Camolesi (PDT)



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 Salvar imagem em alta resolução





A ex-vereadora Madalena, que em abril deste ano foi vítima de assassinato que sensibilizou a cidade, será homenageada pela Câmara Municipal. Por meio do projeto de lei 77/21, de autoria do vereador Cássio Luiz Barbosa, o Cássio Fala Pira (PL), e co-autoria do vereador Paulo Camolesi (PDT) o Centro Comunitário do Jardim Boa Esperança será denominado de “Luiz Antonio Leite – Madalena”. 

Cássio Luiz Barbosa disse que falar da Madalena é "falar da história de Piracicaba, de luta, de comunidade. "Tudo que essa guerreira passou e lutou, foi vereadora nesta casa, respeitada onde passava, brincava com todos, homens, mulheres, crianças. Era queridíssima e morreu de uma forma brutal, covarde, que as pessoas que fizeram isso sejam punidas pela forma mais dura da lei", afirmou.

Ele disse ainda que ela ajudou a saciar a fome de muitas famílias e crianças. "Quantas vezes ela não foi no meu escritório. Ela faleceu no dia 7 de abril deste ano e ela vai ficar na memória de todos os vereadores da cidade", finalizou. 

APARTE - O vereador Paulo Campos (Podemos) afirmou que "Madalena era um ser humano fantástico".  "Vereadora de 2013 a 2016, deixou um legado de muito trabalho, atendendo pessoas carentes. Faleceu de uma forma covarde e a nossa polícia investigou e conseguiu prender quem fez essa barbaridade", disse.

Acácio Godoy (PP) destacou o espírito solidário de Madalena. "A solidariedade é o que salva a humanidade. Ela era uma pessoa humilde, que dividia o pouco que tinha com quem tinha ainda menos que ela".

Paraná (Cidadania) disse que soube de uma história que uma vez faleceu uma pessoa no Jardim Boa Esperança que não tinha família. "A Madalena deixou que o corpo fosse velado na casa dela", disse.

Rai de Almeida (PT) parabenizou os autores da denominação. "A Madalena rompeu com todos os preconceitos que a sociedade tem com as pessoas que rompem com a heteronormatividade. Quando as pessoas estavam dentro do armário, na década de 80 ,ela já tinha assumido sua orientação. Esse nome do centro comunitário é para além da Madalena, é representativo de toda a comunidade LGBTQIA+.", disse

Pedro Kawai também parabenizou os autores da propositura. "Madalena foi um passo a mais na sociedade de Piracicaba, com a sua simplicidade ela fez mais do que muitos letrados dessa cidade", afirmou. 

CO-AUTOR - O vereador Paulo Camolesi, co-autor da proposta, disse que "pobres deles, com seus preconceitos, ódios e problemas pessoais. "Madalena foi pessoa humana, de coração imenso, enfrentou a pobreza, o preconceito, o racismo e se tornou a primeira travesti eleita vereadora. É um marco na nossa história. À quantos Madalena ajudou? Madalena foi-se embora em circunstâncias trágicas, como se sua diferenciada existência exigisse final turbulento", finalizou.



Texto:  Rebeca Paroli Makhoul - MTB 25.992
Supervisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583
Revisão:  Rebeca Paroli Makhoul - MTB 25.992


Legislativo Paulo Camolesi Paulo Campos Pedro Kawai Aldisa Marques Cassio Luiz Acácio Godoy Rai de Almeida

Notícias relacionadas