PIRACICABA, TERÇA-FEIRA, 19 DE OUTUBRO DE 2021
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

21 DE JULHO DE 2021

Bate-papo celebra dia da mulher negra, latino-americana e caribenha


Atividade internacional contará com a participação de convidadas da cidade de Piracicaba, do Distrito Federal e de Cuenca, no Equador.



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (1 de 2) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Assessoria parlamentar (2 de 2) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 Salvar imagem em alta resolução


Celebrando o “Dia da Mulher Negra, Latino-americana e Caribenha,” a vereadora Rai de Almeida (PT) promove nesta sexta-feira, dia 23, a partir das 19h, em sua página no Facebook, uma live especial sobre o tema.

Marco da luta antipatriarcal e antirracista, a data é oficialmente comemorada no dia 25 de julho – tendo sido instituída nacionalmente pela então presidenta Dilma Rousseff (PT) em 2014, homenageando assim também a Tereza de Benguela – líder quilombola brasileira. No entanto, o dia da mulher negra, latino-americana e caribenha tem suas raízes no início dos anos 90, quando diversos grupos de mulheres criaram uma rede internacional para discutir o combate ao machismo e ao racismo e organizaram o primeiro “Encontro de Mulheres Negras, Latinas e Caribenhas”.

Para a live desta sexta, Rai contará com a participação especial de três convidadas de localidades distintas do Brasil e do mundo: a atriz Eva Prudêncio (de Piracicaba), a advogada Vera Lúcia Santana Araújo (de Brasília – integrante da Executiva Nacional da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia-ABJD, do Grupo Prerrogativas e ativista da Frente de Mulheres Negras do DF) e a professora Mariana Rodrigues (de Cuenca, Equador – doutora em Letras, professora e pesquisadora na Universidade Nacional de Educação do Equador).

De acordo com Rai de Almeida, a importância de uma data específica para o dia da mulher negra, latino-americana e caribenha – diferente do Dia Internacional da Mulher – se dá por conta das diversas especificidades e transversalidades das condições da mulher negra na América Latina. "Mais do que um dia de celebração, a data marca a história da mulher negra e latino-americana em sua luta diária, ao longo dos séculos, contra o racismo, contra a violência contra as mulheres, por direitos e equidade entre gêneros e etnias", disse a vereadora.



Texto:  Assessoria parlamentar
Supervisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583
Revisão:  Daniela Teixeira - MTB 61.891


Mulher Rai de Almeida

Notícias relacionadas