PIRACICABA, SEGUNDA-FEIRA, 28 DE SETEMBRO DE 2020
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

20 DE JULHO DE 2020

Analista ambiental destaca gestão de resíduos para evitar queimadas


Entrevistado na live do Parlamento Aberto, na sexta-feira (17), Bruno Delarole defendeu o descarte nos EcoPontos na cidade



EM PIRACICABA (SP)  

Salvar imagem em alta resolução

Campanha "Queimadas - Apague esta ideia" tem foco na redução no número de queimadas que ocorrem durante a estiagem







A live do Instagram do Parlamento Aberto recebeu na tarde da última sexta-feira (17) o analista ambiental da Sedema (Secretaria Defesa do Meio Ambiente), Bruno Delarole. O profissional destacou a importância de uma boa gestão de resíduos no município e a realização da campanha “Queimadas – Apague esta ideia”, desenvolvida pela pasta em prol da diminuição de queimadas em Piracicaba.

Para introduzir o assunto, Delarole explicou que existem dois tipos de queimadas: a intencional e a acidental, porém em ambas há a consequência da emissão de substâncias que trazem prejuízos, como a fuligem e os materiais particulados finos que não podem ser enxergados e que são prejudiciais à saúde.

Segundo o INPE (Instuto Nacional de Pesquisas Espaciais), que faz controle diário de queimadas com cerca de oito satélites, de 1º de janeiro a 14 de julho foram 164 registros de ocorrências de queimadas em Piracicaba. “Pode ser que o número seja maior ainda, mas as maiores ocorrências estão na região do Tanquã e nas fronteiras da região urbana da cidade”, contou o analista.

Ocupando o 16º lugar em território do estado de São Paulo, Piracicaba, como contou Delarole, registra 1.378 km², sendo somente 250 km² em área urbana, sendo a área rural quatro vezes maior.

“Isso é uma dificuldade para se ter um controle e monitoramento, por isso, agimos de forma integrada e com divisões de tarefas. Por exemplo, temos a Polícia Ambiental que fiscaliza as queimadas irregulares. Já na área urbana fica mais ao cargo do Pelotão Ambiental ligado à Guarda Municipal e à Sedema. Temos também fiscais servidores públicos que fiscalizam através de denúncias no 156. Tudo isso além do trabalho do Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil”, explicou

O analista reforçou que a cidade possui diversos Ecopontos espalhados em cada região para que os resíduos sejam descartados de forma correta. Em Piracicaba, eles estão nos bairros Monte Rey (na rua Giovanni Ferrazo), Bosques do Lenheiro (na rua Sapucaia), Jardim Oriente (na rua Professora Maria Isabel Teixeira Mendes com a rua Dr. Raul Machado Filho), Ártemis (na rua Fioravante Cenedese), Mário Dedini I (na rua Antônio Franco de Lima), Mário Dedini II (na rua dos Topázios), Cecap/Eldorado (na avenida Eurico Gaspar Dutra) e Santo Antônio (na rua João Laurelli).

Diariamente é feita a limpeza desses ecopontos, como contou o analista, mas devido a acumulação de alguns bairros e pela população ser maior em alguns pontos, às vezes pode ocorrer acumulo de materiais nestes espaços.

A CAMPANHA - Com foco na informação, a campanha “Queimadas – Apague esta ideia” foi criada pelo departamento de comunicação da prefeitura em parceria com o NEA (Núcleo de Educação Ambiental). Por meio de posts nas redes sociais da prefeitura e também no site do NEA, a campanha tem como objetivo reduzir o número de queimadas que ocorrem durante a estiagem, período que se estende de maio até setembro. 

“Nosso intuito é que essa campanha continue após o período de estiagem. A cada semana é colocado um informativo novo sobre o descarte de resíduos e sobre não colocar fogo nas vegetações, por exemplo”, explicou.

De acordo com Delarole, a campanha vem de encontro com o intuito de educar a população para entender que a prefeitura tem sim um plano de gerenciamento e descarte desses resíduos, e para que isso ocorra, é necessário que as pessoas se conscientizem,

Um bom exemplo citado por ele em relação a legislação municipal, é a Lei Complementar 232/2008, que diz em seu artigo 29 que é proibido atear fogo em vegetação. Já no artigo 31, é notificado o valor da multa que é de R$ 2,13 a cada metro quadrado, e caso a multa seja reincidida, ela dobra de valor.

“Um recente levantamento mostrou que de janeiro a junho foram atendidas 350 ocorrências, 44 notificações e 54 autos de notificação (multas). É importante que as pessoas tenham ciência da multa e que elas podem descartar esses matérias da forma correta e não colocar fogo”, ressaltou.

O AR - Como consequência de um material descartado de forma irregular e das queimadas realizadas no ambiente rural e urbano, Delarole citou que o ar do município também fica atingido. Para monitorar a qualidade do ar e as consequências dele para a cidade, Piracicaba possui uma estação de monitoramento localizada no bairro Algodoal, orientado pela a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo). 

"No site é possível ver diariamente a qualidade do ar, inclusive há uma tabela em que há os principais poluentes e suas classificações como bom ou péssimo. Lá, eles colocam efeitos a saúde conforme vai piorando a qualidade do ar no nosso organismo", explicou.

Delarole salientou que iniciativas como essas são cruciais principalmente no momento em que se vive com a pandemia do coronavírus, pois quanto pior a qualidade do ar mais afeta a saúde da população e consequentemente o avanço do coronavírus e sua proliferação. 

ACESSE O CONTEÚDO
As lives do programa Parlamento Aberto são realizadas no perfil do Instagram, que pode ser acessado em @parlamento_aberto.

As entrevistas também podem ser acessadas no canal do YouTube do Departamento de Comunicação da Câmara de Vereadores de Piracicaba e, ainda, no podcast produzido pela Rádio Câmara Web. 

Para receber as informações do Parlamento Aberto direto no celular, é possível se cadastrar na lista de transmissão do Whatsapp neste link.



Texto:  Ana Caroline Lopes
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Revisão:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337


Câmara Cidadania Educação Saúde Meio Ambiente Parlamento Aberto Câmara Sustentável Coronavírus

Notícias relacionadas