PIRACICABA, SEXTA-FEIRA, 19 DE JANEIRO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

15 DE DEZEMBRO DE 2017

Emocionada, Vera Lúcia relata drama de mães por vagas em creches


Mães expressam indignação e descontentamentos contra a decisão da prefeitura, na supressão de vagas em período integral



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Emocionada, Vera Lúcia relata drama de mães por vagas em creches




"Nós mães viemos na última sessão deste ano para expressarmos nossa indignação, o nosso descontentamento e dar nosso ponto de vista frente a esta decisão de prefeitura, junto à secretaria de Educação, de suprimir as vagas de período integral, as quais, nós já tínhamos em anos anteriores, sendo que não é justo chegar no final do ano, sem termos tido nenhuma reunião prévia, com os pais, para nos avisarem, especialmente no caso do bairro Santa Rosa, ao qual eu pertenço. Nós fomos na prefeitura, no começo do ano, tão logo a nova administração assumiu o governo, onde tivemos uma reunião de pais, onde uma das supervisoras da secretaria de Educação nos informou que os jardins passariam a pertencer à outra creche do bairro, Camilo Pipa, sendo que nós somos do Lígia Gobim, sendo que em resposta à uma mãe, sobre se os filhos ficariam em período integral, a resposta foi sim e que nada mudaria. Isto foi na presença de vários pais, inclusive funcionários da creche".

Com estas reflexões, Vera Lúcia Ferreira ocupou a tribuna popular, na 74ª reunião ordinária de ontem (14), a última do ano de 2017 para externar a preocupação de diversas mães piracicabanas, especialmente moradoras do bairro Santa Rosa que estão sendo afetadas com a decisão governamental de reduzir vagas de creches em período integral.

"Sabemos que este problema não atinge somente o Santa Rosa. Em condições econômicas todas crianças tem direito a vaga, sem definir qual tipo. Em solenidade no Dia do Professor foi dito que a educação é melhor do Estado. Sabemos que não há lei específica para fazer Barjas cumprir promessas de campanha. Nas páginas 16 e 17 do plano de governo consta que a secretaria de Educação deve atender o Plano Nacional de Educação, aumentando de forma integral", disse Vera.

A oradora também destacou que o Plano Nacional de Educação, com metas até 2024, fala do estímulo à educação infantil, em tempo integral, atendendo pelo menos 25% da educação básica. Segundo Vera, a decisão de Barjas Negri vai em desacordo ao Plano de Governo e ao Plano Nacional de Educação. "Moralmente, esperamos que o prefeito e secretaria de Educação entendam que mães ficarão desempregadas, onde aranjaremos um trabalho de quatro horas. Muitas mães são arrimos de família. Onde vou deixar meu filho", disse

"Com base nestas questões, apelamos aqui e às autoridades competentes do Judiciário, no respeito ao direto das crianças. Que o município restabeleça imediamente as vagas. Concluindo, queremos que entendam que todas nós, quando nos tornamos mães e pais visamos primeiramente, incondicionalmente o bem estar de nossos filhos. Trabalhamos em prol deles. Necessitamos de vagas em período integral", concluiu, Vera, emocianada.



Texto:  Martim Vieira - MTB 21.939
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: Tribuna Popular

Notícias relacionadas