PIRACICABA, SEGUNDA-FEIRA, 23 DE OUTUBRO DE 2017 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

29 DE SETEMBRO DE 2017

Ary sugere destinar à Santa Casa R$ 10 milhões renunciados pela Câmara


"Cirurgias eletivas estavam com a fila de algumas especialidades quase zerada, mas, com a paralisação da Santa Casa, ela vai voltar a aumentar", lamentou o vereador.



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Ary ocupou a tribuna durante a reunião ordinária desta quinta-feira




O vereador Ary Pedroso Jr. (SD) sugeriu à gestão Barjas Negri (PSDB) destinar à amortização da dívida que a Prefeitura tem com a Santa Casa os R$ 10 milhões que a Câmara renunciou de seu Orçamento para 2018.

O parlamentar ocupou a tribuna durante a reunião ordinária da noite desta quinta-feira (28), horas depois de a instituição filantrópica anunciar que, a partir desta sexta-feira (29), suspenderá as cirurgias eletivas que realiza pelo SUS (Sistema Único de Saúde). O hospital rejeitou a proposta que a Prefeitura lhe fez de quitar a dívida de R$ 16,6 milhões que tem com ele em três parcelas anuais, em fevereiro de 2018, 2019 e 2020.

"A proposta mostra que a Prefeitura está tentando ajudar, mas não basta, porque a Santa Casa precisa de dinheiro hoje", enfatizou Ary, acrescentando que o hospital "está mais do que no vermelho". "Se não tivesse o Santa Casa Saúde, que é um convênio particular que dá respaldo financeiro para a instituição, já estaria no fundo do poço. É com a sobra do Santa Casa Saúde que a Santa Casa consegue operar", comentou.

"A Prefeitura tem que, nos próximos dias, pensar num plano B. O plano A está bom, mas não é suficiente. Tenho certeza de que a direção da Santa Casa o achou bom, mas temos que arrumar algo para hoje. A sugestão que dou ao prefeito, como todos nós, vereadores, conversamos, é de que o dinheiro que esta Casa de Leis devolveu seja usado para a saúde, para a Santa Casa não precisar suspender as cirurgias."

O vereador afirmou que o anúncio da interrupção das cirurgias eletivas é "preocupante". "Cirurgia eletiva não é nada de urgência ou emergência, mas quem precisa está aguardando com muita ansiedade há anos. As cirurgias eletivas estavam andando bem na cidade, com a fila de algumas especialidades quase zerada. Podem ter certeza de que, com essa paralisação da Santa Casa, a fila vai voltar a aumentar", lamentou.



Texto:  Ricardo Vasques - MTB 49.918
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: LegislativoAry Pedroso Jr

Notícias relacionadas