PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 29 DE JUNHO DE 2022
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

19 DE ABRIL DE 2022

“O Direito é produto da sociedade”, diz sindicalista ao defender greve


José Antonio Fernandes Paiva ocupou a tribuna popular da Câmara, na noite desta segunda-feira (18), durante a 11ª reunião ordinária.



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Sindicalista José Antonio Fernandes Paiva ocupou a tribuna popular nesta segunda-feira (18)






Em defesa da greve dos servidores públicos municipais, o sindicalista José Antonio Fernandes Paiva ocupou a tribuna popular da Câmara, na noite desta segunda-feira (18), durante a 11ª reunião ordinária, e ainda apoiou o projeto de lei 80/2022, do vereador Ary Pedroso Jr. (Solidariedade), que aponta opções para um eventual desconto dos dias parados dos funcionários públicos que aderiram ao movimento paredista.

“Eu queria dialogar com a CLJR (Comissão de Legislação, Justiça e Redação) e com os nobres parlamentares. É importante entender a origem de um projeto como esse. O Direito é um produto da sociedade e não a sociedade é um produto do Direito”, disse, ao lembrar que o movimento grevista nasceu de uma assembleia, “extremamente participativa”, apontou, e que levou uma proposta à Prefeitura de Piracicaba.

Paiva fez um breve relato de toda a negociação entre a categoria e a Administração Municipal, pontuando que o objetivo era dar um “fôlego” aos trabalhadores públicos, que sofrem com a inflação dos últimos três anos e sobre o qual não houve qualquer reposição por conta da pandemia. “Chegou-se ao acordo de 21% de reposição, mas o que difere é que a Prefeitura quer fatiar até 2024, enquanto a categoria pede para 2022”, disse.

O sindicalista lembrou que, enquanto houve diálogo, as propostas caminharam e havia a possibilidade de se chegar a uma melhor condição para a categoria e à Administração. “A origem deste projeto que agora tramita nesta Casa é uma campanha salarial, na qual diversos atores tentaram reabrir a negociação”, disse, salientando que o movimento grevista chegou a reunir cinco mil pessoas, mostrando sua relevância e representatividade.

“Eu quero pedir que seja feita uma leitura atenciosa ao projeto do vereador Ary, que não abona a falta de ninguém, mas está pedindo para não descontar simplesmente e criar possibilidades”, disse, “isso cria uma justiça para os servidores”, complementou.

 



Texto:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337
Supervisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583


Tribuna Popular

Notícias relacionadas