PIRACICABA, SEXTA-FEIRA, 25 DE SETEMBRO DE 2020
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

12 DE AGOSTO DE 2020

Médica defende equilíbrio de responsabilidade na geração de filhos


Roberta Castro participou do primeiro dia da Semana da Família, organizada pelo vereador Isac Santos (PTB).



EM PIRACICABA (SP)  

Salvar imagem em alta resolução


A geração de um filho precisa ser compartilhada com equilíbrio. Sustentada nos aspectos biológicos de uma gestão – “a natureza já ensina que precisa de um pró-núcleo masculino e um pró-núcleo feminino” – a ginecologista Roberta Castro defende a educação sexual como o caminho de consciência sobre o corpo e da divisão de responsabilidades. 

“Vivemos em uma sociedade em que há um pensamento preponderante que a mulher está sozinha neste processo e que ela tem que deixar sua vida para cuidar do filho. Mas o ser humano precisa ter, de todos os lados, apoio”, diz Roberta, ao reforçar que é o que “natureza já ensina”. 

Ela participou do primeiro dia da Semana da Família, organizada pela Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família, instituída pelo decreto legislativo 1/2020, presidida pelo vereador Isac Santos (PTB). A apresentação aconteceu no Facebook da Câmara de Vereadores de Piracicaba, na noite desta terça-feira (11). Isac Santos destacou a importância sobre a discussão de temas que tragam à tona discussão que “muitas vezes, são colocadas de maneira muito superficial e, aqui, temos a oportunidade de aprofunda-los”, disse. 

“A mulher não deveria ser cobrada de ninguém para que lide com essa situação sozinha. Se as mulheres que abortam tivessem estrutura, elas não abortariam”, salienta Roberta, ao lembrar que, em seu trabalho na área médica, verifica diariamente que as mulheres que tomam essa decisão se justificam porque um filho não “cabem em suas vidas”.

A solução, salienta a médica, é trazer a responsabilidade paterna na geração de um filho. E, para isso, as consequências do ato sexual devem ser trazidas no processo educacional. “A estruturação familiar deve tirar o peso dos ombros da mãe e o pai precisa tomar essa consciência”, lembrou, ao destacar que mais da metade dos lares brasileiros têm mulheres como chefes de família.

A obstetra também defende uma nova consciência em torno do ato de doação como um caminho para o entendimento sobre o papel das famílias em gerarem filhos. “A sociedade assimila o sacrifício como algo ruim, mas quanto mais me doo, mais eu me encontro quem eu sou. Essa doação precisa ser valorizada e precisa ser equilibrada entre a figura materna e a figura paterna. O valor da vida está na sua constituição”, disse.

CORPUS CHRISTI – O primeiro dia da Semana da Família também recebeu a participação de Laísa do Amaral, da comunidade Corpus Christi, que, desde 2012, desenvolve a Associação Vida Humana, que gerenciam os trabalhos em defesa da vida.

“A nossa missão é cuidar da gestante que se encontra nessa situação de crise e que pode levar ela a acabar com a gravidez”, disse. Em oito anos de atuação, o trabalho já conseguiu levar cerca de 30 bebês para doação. “E a gente já salvou do aborto mais de mil bebês”, disse, ao defender o acolhimento das mães.

MISSÃO THEOTOKOS – Também foi apresentado os trabalhos desenvolvidos pela Missão Theotokos, sob a presidência de Valdinei Antonio Tonin, o Nei. “Realizamos diversos projetos com essa preocupação de defender a vida”, pontuou Nei. 

O “Levanta-te” tem a finalidade de atender as pessoas com depressão ou que estejam passando por algum sofrimento emocional; “Não Chores Mais” busca mulheres que sofrem após terem realizado um aborto, seja espontâneo ou provocado; “Não Tenhais Medo” é um trabalho de vocação da mulher sobre a maternidade, sobretudo à mulher que tem resistência sobre a concepção de filhos; e “Santos Inocentes”, em que se busca conscientização sobre a vida em mulheres que querem abortar.

A Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família tem caráter suprapartidário e cabe à ela, entre outros aspectos, acompanhar as políticas públicas e propor indicações que se relacionem à defesa e promoção da vida e dos valores da família e promover o intercâmbio entre parlamentares e entidades de outros entes federados, bem como entidades do setor privado e sociedade civil sem fins lucrativos, objetivando o aperfeiçoamento dos trabalhos e ações conjuntas.

A Semana da Família continua nesta quarta-feira (12) com a palestra do psicólogo e logoterapeuta, Luis Enrique Paulino Carmelo, que irá abordar o tema “A pessoa enquanto tarefa” e discorrer sobre os desafios da adolescência e vida adulta, e se encerra na sexta-feira (14) com o professor de história Felipe Aquino, com o tema “Família, lugar de esperança e experiência”. O foco será família e terceira idade.



Texto:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Legislativo Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família

Notícias relacionadas