PIRACICABA, TERÇA-FEIRA, 24 DE NOVEMBRO DE 2020
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

23 DE OUTUBRO DE 2020

'Inova Piracicaba' quer criar ambiente propício ao desenvolvimento


Objetivos do programa foram detalhados por professor em apresentação levada ao ar ao vivo pela TV Câmara, nesta sexta-feira.



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (1 de 4) Salvar imagem em alta resolução

Evento transmitido pela TV Câmara teve a participação remota de professor e publicitário

Evento transmitido pela TV Câmara teve a participação remota de professor e publicitário
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (2 de 4) Salvar imagem em alta resolução

Evento transmitido pela TV Câmara teve a participação remota de professor e publicitário

Evento transmitido pela TV Câmara teve a participação remota de professor e publicitário
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (3 de 4) Salvar imagem em alta resolução

Evento transmitido pela TV Câmara teve a participação remota de professor e publicitário

Evento transmitido pela TV Câmara teve a participação remota de professor e publicitário
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 (4 de 4) Salvar imagem em alta resolução

Evento transmitido pela TV Câmara teve a participação remota de professor e publicitário

Evento transmitido pela TV Câmara teve a participação remota de professor e publicitário
Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 Salvar imagem em alta resolução

Evento transmitido pela TV Câmara teve a participação remota de professor e publicitário



Os objetivos do programa "Inova Piracicaba" foram detalhados em apresentação virtual que integrou o último dia de atividades da Semana de Ciência e Tecnologia. Com transmissão ao vivo pela TV Câmara, na tarde desta sexta-feira (23), o professor Francisco Giocondo Cesar, do IFSP (Instituto Federal de São Paulo), falou dos pilares do projeto, que tem a coordenação da Casa de Leis.

O docente reforçou os objetivos do "Inova Piracicaba" em gerar aproximação e estabelecer parcerias entre instituições de ensino locais, empresas e o setor público, com o desenvolvimento de ações de inovação que tragam soluções a desafios do cotidiano da cidade. O intuito, salientou Francisco, é criar um "ecossistema de inovação", num ambiente de estímulo à pesquisa e propício à instalação de novos negócios.

A síntese do programa está na apresentação, pela iniciativa público-privada, de suas "dores" —ou seja, os gargalos que travam o melhor uso dos recursos— às instituições de ensino, que se incumbirão de buscar as soluções. Se as respostas encontradas "casarem" com as demandas, as partes irão atrás de formas de financiamento para avançar na parceria.

Francisco explicou as quatro etapas do processo, que começa com a apresentação do desafio. "A partir das necessidades da iniciativa público-privada, será elaborada carta-convite com a descrição do problema. Ela deverá apresentar o escopo do produto ou serviço a ser executado e conter todas as condições de 'contorno' para o seu desenvolvimento", comentou.

Na segunda fase, as equipes das instituições de ensino interessadas deverão propor uma solução do campo de abrangência da necessidade em questão. A terceira etapa é a do "pitch", em que os grupos de pesquisadores deverão, numa rápida apresentação, mostrar as possíveis soluções à iniciativa público-privada —esta, no quarto estágio, ao escolher a melhor proposta, formalizará a parceria com a instituição de ensino.

Francisco observou que caberá ao setor público ou privado "toda a fase de desenvolvimento, entrega, implantação e aprovação do produto ou serviço e negociar com a instituição de ensino os recursos necessários" para colocar o projeto em prática, o que pode incluir desde máquinas e equipamentos até bolsas de estudo. Também ficará a cargo dos parceiros definir aspectos legais da relação, como a propriedade intelectual.

Segundo o professor, recursos para financiar as iniciativas poderão vir, por exemplo, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).

O docente listou os benefícios que o "Inova Piracicaba" planeja alcançar, como maior integração entre colégios, universidades, Poder Público, terceiro setor e iniciativa privada; possibilidade de desenvolvimento profissional aos estudantes envolvidos; e devolução à sociedade do conhecimento gerado no ambiente acadêmico, fomentando o que Francisco classificou de "cidadania ativa".

A apresentação do professor foi antecedida pela do publicitário Fernando Perfeito, que falou da chamada "economia verde", conceito que abrange o uso sustentável dos recursos naturais, menor emissão de carbono e responsabilidade social. A Semana de Ciência e Tecnologia foi instituída em âmbito local pela Câmara, esetembro, e é promovida pelo Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação de Piracicaba.



Texto:  Ricardo Vasques - MTB 49.918
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Câmara Isac Souza

Notícias relacionadas