PIRACICABA, DOMINGO, 16 DE JUNHO DE 2019
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

13 DE AGOSTO DE 2018

Coordenador do MCCE mostra formas de combater à corrupção eleitoral


Luciano Santos apresentou como funciona o Comitê Nacional do MCCE e a lei contra a compra de votos



EM PIRACICABA (SP)  

Palestra abordou a lei 9840/1999, conhecida como a lei contra a compra de votos e ficha limpa

Palestra abordou a lei 9840/1999, conhecida como a lei contra a compra de votos e ficha limpa

Alunos participando do debate

Alunos participando do debate

Palestra abordou a lei 9840/1999, conhecida como a lei contra a compra de votos e ficha limpa

Palestra abordou a lei 9840/1999, conhecida como a lei contra a compra de votos e ficha limpa

Palestra abordou a lei 9840/1999, conhecida como a lei contra a compra de votos e ficha limpa

Palestra abordou a lei 9840/1999, conhecida como a lei contra a compra de votos e ficha limpa

Palestra abordou a lei 9840/1999, conhecida como a lei contra a compra de votos e ficha limpa

Palestra abordou a lei 9840/1999, conhecida como a lei contra a compra de votos e ficha limpa

Palestra abordou a lei 9840/1999, conhecida como a lei contra a compra de votos e ficha limpa

Palestra abordou a lei 9840/1999, conhecida como a lei contra a compra de votos e ficha limpa

Palestra abordou a lei 9840/1999, conhecida como a lei contra a compra de votos e ficha limpa

Palestra abordou a lei 9840/1999, conhecida como a lei contra a compra de votos e ficha limpa

Palestra abordou a lei 9840/1999, conhecida como a lei contra a compra de votos e ficha limpa

Palestra abordou a lei 9840/1999, conhecida como a lei contra a compra de votos e ficha limpa

Josué Adam Lazier, conselheiro da Escolha do Legislativo

Josué Adam Lazier, conselheiro da Escolha do Legislativo

Luciano Santos, coordenador do MCCE

Luciano Santos, coordenador do MCCE

Alunos participando do debate

Alunos participando do debate
Salvar imagem em alta resolução

Palestra abordou a lei 9840/1999, conhecida como a lei contra a compra de votos e ficha limpa






Na tarde desta segunda-feira (13) ocorreu a palestra Combate à Corrupção Eleitoral, com o coordenador do MCCE (Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral), Luciano Santos, também professor e advogado. A diretora da Escola do Legislativo e vereadora Nancy Thame (PSDB) participou do evento. 

Conselheiro da Escola do Legislativo, o professor Josué Adam Lazier, da Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba), abriu a palestra e fez breve reflexão sobre como “o desconhecimento favorece o político corrupto”.

Luciano Santos esclareceu o funcionamento do Comitê Nacional do Movimento de Combate à Corrupção. Atuando em todas as regiões do país, é composto por mais de 60 entidades, com sede em Brasília. É responsável pelo acompanhamento do Tribunal Superior Eleitoral e mantém contato com representantes da adoção de medidas que favorecem o processo eleitoral.

Ele enalteceu a lei 9840/1999, conhecida como a “lei contra a compra de votos” e “a lei da ficha limpa”, na qual foi uns dos criadores. Contou como foi a construção da lei e a proposta para conseguir ser incorporada. Foi aprovada em 40 dias em 1999, mas só passou a ser aplicada em 2000.

Segundo o advogado, a lei procura cassar candidatos que praticam a compra de votos, além de abordar assuntos como o político Chico De Ita, o famoso escândalo sanguessuga, em como políticos condenados criam mais inimigos e acabam se tornando reféns no congresso.

“Reclamar é nosso esporte favorito”, afirmou Santos. Ele defendeu que como cidadãos temos responsabilidades em pesquisar e saber em quem votamos, e que o exercício da cidadania requer trabalho e hoje possuímos instrumento que pode facilitar: a internet. 

O palestrante também acredita que os mecanismos democráticos não são utilizados porque precisam ser aprovados antes de consultar a população. Deu enfoque na mini-reforma do ano passado, citando a aprovação do uso de dinheiro público para campanha eleitoral.

“É como uma árvore, não sabemos se vamos colher o fruto ou desfrutar da sombra, mas se não plantarmos não teremos nada”, disse ele, e garantiu que a atuação da sociedade é eficaz, podendo causar uma reação, e que exemplos refletem em nossa família e filhos.

Ao final, o professor fez um debate e deu oportunidade dos participantes darem suas opiniões e apresentarem dúvidas. Durante o debate foram abordados assuntos sobre cartório eleitoral, partidos no congresso, constituições, conflitos com a lei da ficha limpa, duração dos mandatos, projetos para agravar as leis e entre outros.

 

(Assista no player à reportagem veiculada pelo "Jornal da Câmara")



Texto:  Fernanda Rizzi
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Revisão:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337
Imagens de TV:  Paulo Soares - MTB 62.602
Reportagem de TV:  Marcelo Bandeira - MTB 33.121
Edição de TV:  Paulo Soares - MTB 62.602


Tópicos: Escola do LegislativoNancy Thame

Notícias relacionadas