PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 20 DE OUTUBRO DE 2021
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

17 DE SETEMBRO DE 2021

Autorizado pela Sedema, morador espera corte de árvore desde 2017


Situação foi apresentada pelo vereador Gustavo Pompeo (Avante), na noite desta quinta-feira (16), durante a 31ª reunião ordinária da Câmara



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 Salvar imagem em alta resolução

Gustavo Pompeo usou a tribuna durante a 31ª reunião ordinária da Câmara






O vereador Gustavo Pompeo (Avante) relatou, na quinta-feira (16), ao usar o espaço destinado à liderança partidária e de bloco durante a 31ª reunião ordinária, a espera de um morador do bairro Monte Líbano, que desde 2017 precisa realizar a supressão de uma árvore localizada na avenida Thales Castanho de Andrade, 1197. O parlamentar ressalta que o corte já foi autorizado pela Sedema (Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente).

“Eu gostaria que esse meu amigo pudesse vir aqui fazer essa reclamação, mas infelizmente tudo na cidade já voltou, menos a tribuna popular da Câmara, então, se ele não pode estar aqui, eu falo por ele, vou usar minha voz para as gargantas silenciadas”, salientou Gustavo.

O parlamentar relata que em um ofício de 2020, em resposta às solicitações dos moradores, a Sedema detalhou visita técnica, em 2019, em que foi identificada a necessidade de supressão da árvore, mas que ainda tinha aguardar processo licitatório para que os pedidos fossem colocados em ordem. “Isso foi em 13 de janeiro de 2020”, disse.

No início deste ano, o próprio vereador apresentou a indicação 201/2021, novamente solicitando o serviço da Sedema. Na fala da tribuna, ele exibiu um vídeo do morador mostrando que, no bairro Primeiro de Maio, pelo menos quatro árvores foram cortadas.

“Ali, onde não tem casa na frente, arrancaram, mas aqui em frente da minha casa, que está um perigo, ainda não arrancaram”, diz o morador no vídeo.

Gustavo Pompeo demonstrou indignação pela demora do serviço e questionou do perigo que é uma árvore, já condenada, para os moradores próximos a ela. “Não adianta fazer pedido se não for atendido, como é possível uma árvore já com laudo dizendo que pode ser cortada, e ainda não foi feito, a sensação é de ser feito de palhaço”, concluiu.



Texto:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337
Supervisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583


Legislativo Gustavo Pompeo

Notícias relacionadas