PIRACICABA, SÁBADO, 26 DE SETEMBRO DE 2020
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

31 DE JULHO DE 2020

Servidores exaltam aprendizado ao fim de curso de descrição para cegos


Criadora do projeto #PraCegoVer ensinou técnicas para "traduzir" a internautas com deficiência visual o que mostram imagens e vídeos postados nas redes sociais.



EM PIRACICABA (SP)  

Salvar imagem em alta resolução

Patrícia Braille conduziu, nesta sexta-feira, o último encontro do curso de qualificação



"Aprendizado importante", "muito desafiador", "enriquecedor", "esclarecedor". As expressões foram usadas por funcionários do Legislativo piracicabano ao término da capacitação em descrição para pessoas com deficiência visual oferecida por Patrícia Braille, criadora do projeto #PraCegoVer. O curso de uma semana, concluído nesta sexta-feira (31), foi mais uma iniciativa do "Câmara Inclusiva" para ampliar a acessibilidade da Casa a toda a população.

A qualificação de 30 servidores efetivos, comissionados e estagiários buscou aprimorar o grupo na linguagem usada para "traduzir" a internautas com deficiência visual o que mostram as imagens e os vídeos postados nas redes sociais da Casa. A descrição introduzida pela hashtag #PraCegoVer chega à pessoa com limitações na visão por meio de um programa que lhe faz a leitura do que está escrito na tela.

Patrícia Braille, que, chamada Patrícia Silva de Jesus, adotou o sobrenome em referência ao francês criador do sistema de escrita tátil, apresentou o conteúdo da metodologia do #PraCegoVer entre segunda (27) e esta sexta-feira. Um grupo no WhatsApp e um perfil no Instagram foram usados para transmitir os fundamentos da técnica e permitir aos alunos que tirassem dúvidas.

Diante dos exercícios propostos por Patrícia, que acumula 23 anos de experiência na área, coube à equipe redigir as descrições de diferentes produtos visuais, como ilustração e charge. Exemplos de postagens já feitas pelos profissionais da Câmara na internet também foram usados para sanar dúvidas sobre acertos e equívocos na linguagem adotada.

Participaram da qualificação funcionários e estagiários dos departamentos de Comunicação, TV Legislativa, Administração e Documentação e Transparência, da Escola do Legislativo e de gabinetes de vereadores. Ao fazer um balanço final do curso, Patrícia comentou a responsabilidade que é, para ela, analisar a produção de seus alunos e orientá-los.

Graduada em letras vernáculas e especialista em educação especial na perspectiva da educação inclusiva, a professora disse esperar que, com a qualificação e a dedicação demonstrada pela equipe, a Câmara torne Piracicaba "referência em acessibilidade" no país. "Sei que esse conteúdo que trago comigo modifica a vida das pessoas para melhor. Não há outro caminho para a inclusão social que não passe pela acessibilidade", comentou.

"Fiquei muito feliz em como Piracicaba tem potencial para ser referência em acessibilidade, porque vocês são a Câmara, estão perto dos parlamentares e serão porta-vozes nessa mediação entre a sociedade civil e o Legislativo. Isso não depende de milhões de investimentos; é acessibilidade com orçamento curto, com o que temos de repertório cultural", continuou.

"Estou muito satisfeita com a equipe e o retorno que deu, com todas as perguntas e provocações, o material compartilhado. Leio com muito respeito as contribuições, o acompanhamento do processo. Aprender é um exercício de humildade e empenho. Foi uma semana muito rica para mim", concluiu Patrícia.

O jornalista Erich Vallim Vicente, do Departamento de Comunicação e coordenador das ações do Parlamento Aberto, agradeceu o aprendizado propiciado na qualificação, classificando-o de "muito desafiador". "Quando tento traduzir algo, é um impacto conseguir dar um contexto, trazer a palavra para aquilo que ela pode sintetizar, do que só relatar o que está sendo dito", afirmou.

"Sinto-me extremamente privilegiada de ter a oportunidade de participar deste curso. Gostei muito. Descrever é dom, é tentar uma vez, e de novo, até conseguir", avaliou a jornalista Daniela Teixeira. "Foi muito esclarecedor", acrescentou a jornalista Rebeca Paroli. 

"Já estava fazendo algumas descrições, agora aprendi que preciso ser um pouco mais detalhista do que dar só um cenário geral. Esse é um aprendizado importante", analisou o designer gráfico Saulo Macedo. "Gratidão pelo curso, foi enriquecedor", disse a agente administrativa Laís Paroli. "Foi uma experiência muito engrandecedora", reforçou Larissa Souza, estagiária em jornalismo.



Texto:  Ricardo Vasques - MTB 49.918
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Parlamento Aberto Câmara Inclusiva

Notícias relacionadas