PIRACICABA, TERÇA-FEIRA, 2 DE JUNHO DE 2020
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

03 DE MARÇO DE 2020

Segurança em Ártemis foi assunto abordado na Tribuna Popular


Eber Constantinov também usou a Tribuna para falar sobre requerimento 101/2020.



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 Salvar imagem em alta resolução





Segurança no distrito de Ártemis, resposta ao requerimento 101/2020, de autoria do vereador Lair Braga (SD), que solicita ao Executivo informações sobre posto de apoio policial, foi o tema abordado pelo cidadão Eber Constantinov, ao fazer uso da Tribuna Popular, durante a 8ª reunião ordinária, realizada na noite desta segunda-feira (03).

“Sei que o requerimento 101/2020 não foi direcionado à minha pessoa, mas ao Executivo. Como sou o responsável pelo espaço do Posto de Apoio de Segurança de Ártemis, eu me senti na obrigação e no dever de vir aqui prestar esclarecimentos”, disse ao iniciar sua fala o ex-presidente da Associação de Moradores do Residencial Terras de Ártemis.

Ele explicou que foi presidente do residencial de 2016 a 2020 e, durante esse período, junto com os moradores, buscou formas de melhorar a segurança de todo o entorno da região. "Apesar de ser um condomínio fechado, o entendimento de todos os moradores é que a segurança não existe somente naquele contexto, mas que dependemos uns dos outros", disse.

Segundo o orador, a comunidade sempre procurou zelar pela segurança e desenvolvimento de todo o entorno de nosso residencial. "Ali é o bairro que vivemos e até pela questão da distância ao centro da cidade é fundamental o uso do comércio da região. A segurança sempre foi um fator preocupante para nós”, comentou Eber, que em seu mandato como presidente da Associação, procurou se aproximar das demais associações de moradores do bairro.

Eber também falou sobre o projeto de construção de uma base da Polícia Militar no bairro e explicou que, ao tentar viabilizar o projeto, foi aconselhado a se aproximar do Conseg (Conselhos Comunitários de Segurança), do qual se tornou presidente. Ele lembrou ainda que uma das informações que obteve foi que a PM não teria efetivo suficiente, pois são necessários seis profissionais, e que o policial que fica na base não pode deixar o local para atender ocorrências, o que provoca uma falsa sensação de segurança.

Diante da negativa, procuraram um plano B e foram buscar viabilizar o necessário para que a polícia ficasse mais tempo dentro do distrito. "A solução que encontraram foi a criação do posto de apoio, que também serve para outras atividades realizadas no bairro. Posso afirmar que o posto não está fechado. Depois de sua criação a polícia permanece mais tempo no bairro, proporcionando uma redução na criminalidade”, contou o munícipe.

Durante sua fala, o cidadão pediu o apoio da Câmara para colocar câmeras de segurança nas entradas do bairro, o que, no seu ponto de vista, aumentaria a segurança. Segundo ele, há residenciais como o São Francisco que também necessitam do equipamento.

Ele também falou sobre o apoio dos vereadores Nancy Thame (PSDB) e Gilmar Rotta (MDB) em algumas conquistas para o bairro. O vereador Lair Braga, disse que tem as mesmas preocupações do munícipe, que já foi chamado pelos moradores para ver os problemas e que contente com a sua presença e gostaria de estabelecer um canal de comunicação com ele. A vereadora Nancy Thame, comentou que esteve no lançamento do projeto de segurança comunitária do bairro.



Texto:  Patrícia Moraes Sant'Ana - MTB 24.154
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tribuna Popular

Notícias relacionadas