PIRACICABA, SÁBADO, 27 DE NOVEMBRO DE 2021
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

18 DE OUTUBRO DE 2021

Projeto contra violência doméstica recebe moção de aplausos


O projeto DigNas terá aplicativo que ajudará a salvar a vida de mulheres no momento da agressão doméstica



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (1 de 5) Salvar imagem em alta resolução

Projeto DigNas é homenageado pela Câmara Municipal

Projeto DigNas é homenageado pela Câmara Municipal
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (2 de 5) Salvar imagem em alta resolução

O vereador Pedro Kawai

O vereador Pedro Kawai
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (3 de 5) Salvar imagem em alta resolução

O diretor da Esalq/USP, professor Durval Dourado Netto

O diretor da Esalq/USP, professor Durval Dourado Netto
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (4 de 5) Salvar imagem em alta resolução

A professora Heliani Berlato, coordenador do DigNas

A professora Heliani Berlato, coordenador do DigNas
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (5 de 5) Salvar imagem em alta resolução

Pedro, Heliani e o diretor Durval

Pedro, Heliani e o diretor Durval
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 Salvar imagem em alta resolução

Projeto DigNas é homenageado pela Câmara Municipal



O vereador Pedro Kawai (PSDB) entregou na manhã da última segunda-feira (18) a moção de aplausos nº 202/2021 à professora Heliani Berlato, pelo projeto DigNas, que já faz o mapeamento da violência contra as mulheres em Piracicaba. Além disso, ele desenvolverá um aplicativo (APP) capaz de salvar essas mulheres no momento da agressão doméstica. O projeto está na fase da coleta de dados e a intenção é também oferecer a essas mulheres cursos de formação profissional e orientação sobre empreendedorismo.

Segundo o vereador, o trabalho desenvolvido pela professora Heliani e sua equipe, incluindo alunos da graduação, é bastante importante e chega num momento em que cresce o número de agressões contra as mulheres. Ele entende que o APP, com uma espécie de botão do pânico, poderá ajudar a salvar vidas de muitas mulheres. Pedro diz que “a sociedade aguarda com expectativa a conclusão do projeto e a implantação desse aplicativo”.

A professora Heliani agradeceu a moção de aplausos que reconhece o trabalho de toda uma equipe, compartilhando a homenagem com a direção da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP). Para ela, “é bastante importante que seja possível romper os muros da universidade e mostrar para a comunidade a nossa pesquisa, que será capaz de transformá-la, principalmente quanto à agressão às mulheres”.

Heliani Berlato lembrou que “com a pandemia do coronavírus, infelizmente, foram escancarados os números da violência doméstica contra a mulher. Recentemente em Piracicaba foi registrado mais um feminicídio. Por isso, quando planejamos criar o projeto da plataforma digital, pensamos em poder ajudar e salvar a vida das mulheres no momento da agressão. Essa violência é inexplicável e precisamos de ações e de políticas públicas que sejam capazes reduzir esses números”.

O diretor da Esalq/USP, professor Durval Dourado Neto, destacou a relevância desse projeto de extensão universitária voltado à defesa das mulheres. Para ele, “a sociedade apresentou uma demanda e a universidade tomou a iniciativa de desenvolver um projeto que seja capaz de ajudar as mulheres vítimas da violência, não somente coibindo as agressões, mas também orientando para a participação em cursos profissionalizantes e empreendedorismo”.  

PROJETO DIGNAS - O projeto se propõe a somar forças para combater a violência contra as mulheres. Ele nasce afim de mapear e identificar nas áreas urbana e rural de Piracicaba atos que configuram violência contra as mulheres. O seu intuito é desenvolver, a partir das informações qualitativas, um aplicativo para dispositivos móveis personalizado, com serviços de proteção, formação profissional e inclusão das mulheres vítimas de violência.

Para a viabilizar a iniciativa, o DigNas foi contemplado com financiamento pelo edital Inclusão Social e Diversidade ODS-ONU (2021), da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da Universidade de São Paulo. A maior preocupação está em manter o projeto sustentável. O projeto tem o apoio de outras unidades da USP: Faculdade de Economia e Administração (FEA), Escola de Artes, Ciências e Humanidades (Each) e o Instituto de Matemática e Estatística (IME).

Depois de finalizado, a ideia do projeto é trabalhar em Piracicaba e depois deixar esse aplicativo como uma política pública nas mãos da prefeitura, sob a tutela do Conselho Municipal da Mulher. O prazo é que ele seja concluído em setembro de 2022.



Texto:  Miromar Rosa - MTB 17.063
Supervisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583


Homenagem Pedro Kawai

Notícias relacionadas