PIRACICABA, TERÇA-FEIRA, 22 DE SETEMBRO DE 2020
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

28 DE AGOSTO DE 2020

Papel da arte no desenvolvimento do conhecimento é explorado em live


O artista visual, pesquisador e presidente do Salão Universitário de Humor de Piracicaba, Camilo Riani, participou da live desta quinta-feira do Parlamento Aberto.



EM PIRACICABA (SP)  

Salvar imagem em alta resolução

Cartunista participou da live desta quinta-feira do programa Parlamento Aberto







"A arte tem que ser valorizada para que a vida seja melhor", disse o artista visual, pesquisador e presidente do Salão Universitário de Humor, Camilo Riani, durante a live desta quinta-feira (27) do programa Parlamento Aberto. O artista analisou a relação do conceito de distopia com a realidade atual da pandemia e explorou o papel da arte no desenvolvimento do conhecimento.

Camilo explicou que a distopia é um contraponto da utopia, uma realidade que existe e que apresenta características nocivas. Ele usou como exemplo a série "Black Mirror", que traz situações em que o uso da tecnologia avançada cria dilemas morais e éticos para os personagens.

"A pandemia que nós estamos vivendo e a forma como estamos lidando com ela estão dentro dessa ideia da distopia, porque a tecnologia veio com tudo. Essa tecnologia, se multiplicando, traz possibilidades, mas também traz muita confusão", disse Camilo.

Um exemplo dessas problemáticas advindas da tecnologia, citado por Camilo, é a disseminação rápida de "correntes de ódio", com mensagens de ataque a etnias, religiões, classes trabalhadoras etc. Como exemplo, ele mencionou uma situação que ocorreu em sua vida pessoal relacionada ao preconceito contra a classe artística.

Para ele, a arte é um meio de vencer essas dificuldades, com o estímulo à reflexão e à criação de novos conhecimentos, visto que atua por meio do pensamento risomático, conceito criado por filósofos no século 20 que se opõem ao conhecimento linear.

"Eles diziam que o pensamento é como um gramado: você tem as raízes saindo às milhares e todas elas têm a mesma força, o mesmo valor, daí é que brota o conhecimento. Eles dizem que essas interconexões se retroalimentam e geram o novo pensamento: aí você avança, cria novas soluções. É o pensamento criativo e não reprodutivo", comentou o artista.

Essa concepção é explorada no projeto Arte Experiência, idealizado pelo cartunista e realizado com o apoio da Agência Neurônio Adicional. No projeto, é trabalhada a criação de memórias pelo contato com a arte, com ênfase na experiência gerada pela interação.

O cartunista abordou também, na live, o conceito de surrealismo, que se relaciona com o mundo do sonho, o inconcreto. Camilo trabalha com as características desse movimento artístico na arte-tese de seu doutorado, a caricatas, vencedora de prêmio no Troféu HQMix. No projeto, é desenvolvida a proposta de que há três dimensões na vida em que o "absurdo" é possível: o sonho, a loucura e a arte.

"Na arte, eu não preciso fazer cálculos estruturais; o que eu pinto passa a ser real dentro daquela tela, e aquilo é ela em si; é o universo, é a realidade da arte", comentou Camilo.

ACESSE O CONTEÚDO - As lives do programa Parlamento Aberto são realizadas no perfil do Instagram, que pode ser acessado em @parlamento_aberto.

As entrevistas também podem ser conferidas no canal do YouTube do Departamento de Comunicação da Câmara de Vereadores de Piracicaba e, ainda, no podcast produzido pela Rádio Câmara Web.

Para receber as informações do Parlamento Aberto direto no celular, cadastre-se na lista de transmissão do Whatsapp, neste link.



Texto:  Larissa Souza
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Revisão:  Ricardo Vasques - MTB 49.918


Parlamento Aberto

Notícias relacionadas