PIRACICABA, SEXTA-FEIRA, 10 DE JULHO DE 2020
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

26 DE MARÇO DE 2020

Nancy entrega ao prefeito propostas de ações em combate ao Coronavírus


Documento foi produzido com a junção de demandas e sugestões enviadas por munícipes



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Assessoria parlamentar Salvar imagem em alta resolução

Nancy Thame (PV) entregou pessoalmente ao prefeito Barjas Negri (PSDB) o ofício com as propostas



A fim de contribuir com o Executivo nas medidas de prevenção ao novo coronavírus em Piracicaba, a vereadora Nancy Thame (PV) protocolou, na manhã deste sábado (21), ofício com propostas para o enfrentamento da pandemia, entregue pessoalmente ao prefeito Barjas Negri (PSDB).

De acordo com a vereadora, o documento foi produzido após ela receber uma série de demandas e sugestões de lideranças comunitárias, comerciantes, profissionais liberais e integrantes do Partido Verde de Piracicaba, que, somadas, têm o objetivo de minimizar os efeitos da crise no município.

Uma das propostas pede o subsídio da água à população mais vulnerável, e/ou não cortar o fornecimento em caso de atraso durante este período de crise. Rever as parcelas do IPTU para os próximos meses à essa população também está entre as ações solicitadas, bem como fazer parcerias para produção e doação de álcool gel para ser distribuído de maneira ordenada pelo sistema municipal de saúde e assistência social. Ao todo, o ofício lista 28 propostas e sugestões. O documento completo pode ser conferido no link: www.bit.ly/oficio51.

“Esse é um momento em que não só o Executivo e o Legislativo têm de se unir, mas acredito também na força conjunta das instituições e da sociedade piracicabana, no sentido de administrar esta crise juntos. Temos que dar atenção a essas pessoas que têm entrado constantemente em contato com nosso gabinete solicitando informações e propondo ações, com muita sensibilidade com o bem-estar da nossa população. Entregamos esse documento produzido conjuntamente, para que assim, todas as demandas e sugestões sejam analisadas e encaminhadas pela prefeitura”, disse a vereadora Nancy Thame.

O protocolo foi feito durante reunião realizada neste sábado para discutir ações envolvendo os poderes Executivo e Legislativo no enfrentamento ao coronavírus. Estiveram presentes, além do prefeito Barjas Negri e a vereadora Nancy Thame, os secretários Pedro Mello (Saúde) e Evandro Evangelista (Administração), o coordenador de Saúde, Moisés Taglieta e mais 14 vereadores.

Confira as propostas:

1. Ampliar a higienização dos banheiros públicos com disponibilização de sabonete, papel higiênico, papel toalha e álcool gel;

2. Ampliar os cuidados, através do setor competente, de proteção dos coletores de lixo, varredores de rua, funcionários da saúde, funcionários da assistência social e identificar profissionais vulneráveis (com hipertensão, diabetes, doenças autoimune e outras), para afastamento ou redução de horas de trabalho, desde que não se exponham a risco de contágio;

3. Informar sobre a dinâmica da campanha de vacinação contra a gripe (será somente para influenza ou H1N1), a partir de segunda feira, pois o Ministério da Saúde pede criatividade às secretarias públicas para não haver aglomeração; definir locais alternativos para vacinação, como escolas, farmácias e outros para os grupos de riscos;

4. Subsidiar a água, por meio da Prefeitura, à população mais vulnerável - aos assistidos pelos programas sociais neste período da crise; e/ou não cortar fornecimento em caso de atraso;

5. Isolamento e proteção da população em situação de rua, com apoio alimentar e não só de abrigamento. Sugestão de local para abrigamento: Engenho Central;

6. Fazer uma parceria com a Raízen para produção e doação de álcool gel para ser utilizado e distribuído de maneira ordenada à população socialmente mais vulnerável pelo sistema público municipal de saúde e de assistência social;

7. Abrir novos cadastros na assistência social para fornecimento de alimentos e itens de higiene para famílias que necessitam;

8. Equipar e subsidiar atividades nas escolas públicas municipais com a metodologia EAD, na faixa etária adequada, para que em novas emergências as aulas presenciais possam ser substituídas por aulas online;

9. Sugerir às empresas que, se puderem, alterem os horários de funcionamento para os trabalhadores ficarem mais dispersos;

10. Priorizar a estrutura da Atenção Básica, UBS, CRAB, PSF que atendem aos bairros mais vulneráveis;

11. Ampliar a linha de crédito municipal ou criar de algum tipo de seguro para situações emergenciais (a exemplo do seguro desemprego);

12. Rever as parcelas do IPTU nesses próximos meses para população mais vulnerável;

13. Analisar criteriosamente o fechamento do comércio, com exceção aos serviços essenciais; regulamentar normas para funcionamento de parques e outros espaços que possam proporcionar aglomerações de pessoas;

14. Priorizar os atendimentos emergenciais para casos suspeitos e confirmados do COVID19;

15. Ampliação da divulgação dos casos suspeitos no município e formas de prevenção nas mídias locais;

16. Definir e divulgar fluxograma de atendimento para os pacientes com suspeita de Covid-19. O Ministério da Saúde definiu a unidade básica como porta de entrada. Os trabalhadores da saúde devem ser preparados, inclusive emocionalmente e para não serem transmissores do vírus (não usar as roupas que usam nos atendimentos em outros locais que circulam, por exemplo), o que, inclusive tem provocado hostilidade da população em relação a esses profissionais quando circulam de branco fora do trabalho);

17. Definir medidas para frear o fluxo de pessoas circulando pela cidade;

18. Propor e concretizar medidas de ações sociais conjuntas para minimizar a proliferação do vírus nas comunidades mais carentes, favelas e população em situação de rua;

19. Propor e concretizar medidas de apoio a população desempregada e aqueles mais vulneráveis;

20. Parceria com a rede hoteleira para disponibilização de apartamentos (para isolamento) no caso de um colapso na rede hospitalar;

21. Promover ações e atividades de cultura e lazer, com programas interativos pelas mídias sociais (ex. disponibilizar Wi-Fi gratuitamente) nas comunidades, por haver maior concentração de pessoas, vulnerabilidade e evitar ações onde possa ter aglomeração mais intensa;

22. Incentivar e estimular a criação de grupos de apoio com a colaboração da sociedade civil (associações recreativas, universitários, e outras instituições) para o cuidado com os idosos com base nos registros dos programas dirigidos a eles, identificando aqueles sem estrutura de apoio para manterem-se no isolamento;

23. Garantir a transparência do plano de contingência regional e a disponibilização de informações das medidas que estão sendo adotadas no Município;

24. Garantir a transparência em relação ao número de leitos disponíveis, deve haver transparência e informação quanto aos equipamentos que estão sendo adquiridos, a fim de atender à demanda estimada;

25. Aprimorar os canais de informação e comunicação com a sociedade, a fim de que a população possa ser orientada sobre as unidades de saúde disponíveis, e a necessidade de comparecimento às unidades de saúde para eventual realização de testes.

26. Em relação aos artistas e aos estabelecimentos comerciais com atividades culturais, ou mesmo sem tais atividades, avaliar a possibilidade de na~o recolher tributos nesse peri´odo de crise, inclusive a suspensão de taxas do MEI e cobrança do IPTU;

27. Através da empresa Hyundai, consultar sobre o plano implementado na Coreia e avaliar possível projeto de cooperação emergencial, inclusive o monitoramento via testes Drive Thru e acoplamento a aplicativo no celular;

28. Contemplar com sistema de rodízio dos profissionais e possibilidade de descentralizar atendimentos do Cadastro Único para o CRAS.



Texto:  Assessoria parlamentar
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Revisão:  Daniela Teixeira - MTB 61.891


Coronavírus Nancy Thame

Notícias relacionadas