PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 17 DE AGOSTO DE 2022
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

05 DE NOVEMBRO DE 2021

Munícipe critica falta de planejamento urbano no Santa Rosa


Paulo Davi Polesi, em discurso na tribuna popular, reclamou da constante falta d´água, da escassez de linhas de ônibus e da ausência de áreas institucionais no bairro



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Representante da Associação de Moradores do bairro Santa Rosa, Paulo Davi Polesi, foi o primeiro a discursar na tribuna popular na noite desta quinta-feira (4)






O representante da Associação de Moradores do bairro Santa Rosa, Paulo Davi Polesi, foi o primeiro orador popular a fazer o uso da tribuna na noite desta quinta-feira (4), ainda durante o pequeno expediente da 42ª reunião ordinária de 2021 da Câmara Municipal de Piracicaba. 

Em seu discurso, Polesi disse que o bairro Santa Rosa, ao longo dos anos, recebeu diversos empreendimentos imobiliários, tanto residenciais e comerciais quanto industriais e, apesar de ressaltar todo o desenvolvimento econômico por eles proporcionado, considerou que tal expansão imobiliária não foi fruto de um planejamento urbano consistente, principalmente no que tange ao abastecimento de água na região:

"Todos esses empreendimentos residenciais e industriais, tudo isso é muito bom para a cidade, é muito bom porque gera empregos, tanto na indústria, comércio e serviços. Só que todo esse aumento de condomínios e de empresas lá na região tem causado algumas preocupações. Uma delas é em relação ao abastecimento de água. Pelo menos nos últimos 5 anos estamos enfrentando problemas de abastecimento de água.  Dia sim, dia não, falta água por lá", reclamou o munícipe, que disse que a Estação de Tratamento de Água do Capim Fino, responsável pelo abastecimento da região, "não está dando conta".

Outro ponto discutido por Paulo Davi Polesi foi a questão da reserva de áreas institucionais por partes destes novos empreendimentos, ou seja, áreas que devem ser destinadas à construção e instalação de equipamentos públicos voltados a toda à comunidade, conforme previsto em regramento que trata do assunto: 

 "Nós estivemos na última plenária do orçamento participativo, e duas de nossas demandas foram as mais votadas da região norte. Uma delas é a construção de um campo de futebol, e não temos nenhum área para que ele seja construído. É complicado. É uma área de milhares de metros quadrados e não foi deixada nem sequer uma área de lazer. Eu reitero que todas esses condomínios trouxeram desenvolvimento para a região, não quero ficar criticando esses condomínios, mas é preciso criticar o gestor público que, à época, não teve a visão pensar nesse espaços institucionais. Será que o pessoal do bairro não precisa desses espaços?", questionou.  

Segundo o representante da Associação de Moradores, as questões relacionadas à falta d'água e de áreas institucionais no bairro não devem ser tributadas à atual gestão. No entanto, alguns outros problemas vividos pela população da região, sim. É o caso da falta de linhas de ônibus e do fechamento do cursinho popular pré-vestibular gratuito antes ofertado pela prefeitura.

"Um problema que é dessa gestão é a falta de ônibus em nossa região. O pessoal fica uma hora e meia, duas horas, esperando por um ônibus. Nós sabemos que o contrato atual da prefeitura com a empresa de ônibus é um contrato temporário, emergencial, mas é preciso solucionar isso. Nesses contratos, a prefeitura precisa colocar um número mínimo de horários para os ônibus passarem lá, e isso vem acontecendo em muitos bairros", frisou Polesi.

Em relação ao fechamento do cursinho popular gratuito anteriormente ofertado pela prefeitura, o orador disse não estar convencido da real necessidade do encerramento das atividades: "esse cursinho popular acabou em 2021. Eu li na imprensa alguns motivos que fizeram esse curso acabar, mas nenhum deles me convenceu. Eu acredito que a gente, para ter uma transformação social e que seja inclusiva, que permita aos mais pobres ingressarem nas grandes universidades públicas, a prefeitura tem que oferecer esse cursinho. Já é um cursinho tradicional aqui na cidade".

Polesi também agradeceu o trabalho de parlamentares da Casa, em especial aos vereadores Pedro Kawai (PSDB), Paulo Camolesi (PDT), Rai de Almeida (PT) e Acácio Godoy (PP) que tem visitado o bairro e realizado mediações entre os moradores e o poder Executivo. 

O discurso completo do representante da Associação de Moradores do bairro Santa Rosa, Paulo Davi Polesi, pode ser assistido na aba de vídeo localizada no campo superior esquerdo desta matéria, logo abaixo da foto de capa. 



Texto:  Fabio de Lima Alvarez - MTB 88.212
Supervisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583


Tribuna Popular

Notícias relacionadas