PIRACICABA, TERÇA-FEIRA, 5 DE JULHO DE 2022
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

21 DE JUNHO DE 2022

Moradora do Santa Cecília reclama de perturbação de sossego no bairro


Em discurso na tribuna popular, a oradora Adriana Cristina Moreti afirmou que moradores do bairro estão sofrendo com arruaças e shows em estabelecimentos comerciais



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 Salvar imagem em alta resolução

"Não podemos admitir que interesses econômicos de alguns se sobreponham aos direitos dos demais", disse moradora sobre perturbação de sossego no Santa Cecília






"Sou moradora do Loteamento Santa Cecília, bairro antes conhecido por sua tranquilidade, tranquilidade essa que nos foi tirada", disse a oradora Adriana Cristina Moreti em discurso na tribuna popular na noite desta segunda-feira (20), durante o expediente da 26ª reunião ordinária de 2022 da Câmara Municipal de Piracicaba. 

De acordo com Moretei, o sossego dos moradores do Santa Cecília e adjacências vem sendo perturbado com atividades de alto impacto: "há aproximadamente 3 anos, estamos sofrendo com as constantes perturbações de sossego no entorno de nossas residências, com alvarás de funcionamento para atividades de alto impacto, como circos e parques e, agora, shows com banda ao vivo, maquiada em entretenimento e esportes, sem ao menos uma acústica no local ao ar livre", disse.

Ainda de acordo com ela, o zoneamento do bairro é estritamente residencial mas, no entanto, é constante, além dos ruídos, gritarias e algazarras ao término destes shows, impedindo o repouso dos moradores após um dia de trabalho: "tudo o que você quer é a sua cama para descansar, poder repor suas energias e voltar ao seu trabalho no dia seguinte, mas isso não é possível, pois se tiver um estabelecimento a 100 metros da janela da sua casa, de quinta a domingo, com shows de bandas ao vivo e ruídos. Se você não fechar todos os vidros de sua casa, exaurindo toda a circulação do ar natural, você não consegue descansar, assistir tv ou conversar com visitas. É praticamente impossível. Após a dispersão destes shows, jovens sem respeito aos moradores ao entorno ficam com os carros com as portas abertas, com as bebidas nos capôs, som ligado, risadas, tudo isso embaixo das janelas", lamentou.

Segundo Adriana Moreti, o problema se intensificou com a recente inauguração de um estabelecimento que, de acordo com ela, está emitindo ruídos acima do permitido em lei, fato este que, inclusive, resultou na elaboração de um abaixo-assinado por parte dos moradores da região. Ela solicitou maior empenho das autoridades na resolução do problema e relativizou argumentos que defendem a manutenção destes shows com base na alegação de que eles geram trabalho e renda: 

"Temos o laudo de atendimento de uma residência em que o ruído estava acima do permitido, ou seja, os shows continuam. Continuam não respeitando os índices e nada está sendo feito por parte do poder público. A alegação de que o estabelecimento e músico geram renda e emprego, nós moradores, por acaso, também não geramos renda? O IPTU pago por nós é um dos mais caros da cidade de Piracicaba. Emprego, desde a contratação de um piscineiro, de um jardineiro, de uma diarista, uma empregada doméstica, e que não são poucos ali no bairro, nós não estamos gerando renda e emprego?", questionou.

O discurso de Adriana Cristina Moreti pode ser visto, na íntegra, no canto superior da página.   



Texto:  Fabio de Lima Alvarez - MTB 88.212
Supervisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583


Tribuna Popular

Notícias relacionadas