PIRACICABA, TERÇA-FEIRA, 22 DE SETEMBRO DE 2020
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

10 DE SETEMBRO DE 2020

Coronavírus: ‘Testagem em massa’ pode influenciar plano de reabertura


Em live do programa Parlamento Aberto, o coordenador da Vigilância Epidemiológica, Moisés Taglietta, falou sobre o plano de rastreamento do coronavírus no município



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Moisés Taglietta participou de live do Parlamento Aberto nesta quarta-feira (9)





Uma pesquisa por amostragem, realizada pela prefeitura de Piracicaba, pretende testar 50 mil pessoas dos segmentos de educação, saúde, segurança pública, transporte e também idosos atendidos pela rede municipal de saúde. O objetivo é fazer um inquérito sorológico para entender o mecanismo do vírus na cidade.

O coordenador da Vigilância Epidemiológica, da Secretaria Municipal de Saúde, Moisés Taglietta, participou de live do Programa Parlamento Aberto, nesta quarta-feira (9) e explicou detalhes sobre essa testagem, inédita do município.

Segundo Taglietta, a ‘testagem em massa’ na realidade é uma testagem por amostragem porque não vai testar toda população. Ao contrário do que vinha sendo realizado no início da pandemia, que era testar apenas os casos mais graves, a vigilância epidemiológica decidiu testar os assintomáticos, seguindo a tendência do país. “A quantidade de assintomáticos mostrou-se bastante significativa na epidemia em todos os países e se fez necessário um estudo em todas essas pessoas”, afirmou.

Para obter “um olhar mais ampliado” sobre a epidemia do coronavírus, a vigilância epidemiológica “abriu o leque” e passou a incorporar os testes não apenas por sintomas, mas por segmentos profissionais e faixa etária. A decisão de fazer os testes nesses grupos foi, segundo o coordenador, para entender como o isolamento menor desses segmentos, que têm bastante exposição com outras pessoas, se desenha na pandemia.

De acordo com Moisés Taglietta, a testagem em massa pode influenciar no plano de reabertura gradual das atividades econômicas em Piracicaba. “Vai ajudar sim no que, talvez, desenhar de alguma forma a retomada quando vier a nossa fase verde mais calcada em evidência cientifica”, disse.

Até o dia 9 de setembro, data da entrevista, Piracicaba havia registrado 307 óbitos por coronavírus e 12.937 casos confirmados, sendo que 141 confirmações foram registradas nas últimas 24 horas. Segundo Taglietta, o município tem conseguido achatar a curva e o distanciamento social diminuiu a velocidade em que o vírus se propaga. “Se a gente for considerar que a ideia era que 10% da população viesse a desenvolver a doença, a gente está longe disso”, disse.

Mesmo com a previsão de número de contaminados abaixo do esperado e a ocupação dos leitos hospitalares destinados à Covid-19 abaixo dos 70% da capacidade, o coordenador da vigilância epidemiológica pediu a colaboração de todos para enfrentar a disseminação do coronavírus já que, quando os números de contaminações crescem, também crescem os números de internações hospitalares.

ACESSE O CONTEÚDO
As lives do programa Parlamento Aberto são realizadas no perfil do Instagram, que pode ser acessado em @parlamento_aberto.

As entrevistas também podem ser acessadas no canal do YouTube do Departamento de Comunicação da Câmara de Vereadores de Piracicaba e, ainda, no podcast produzido pela Rádio Câmara Web.

Para receber as informações do Parlamento Aberto direto no celular, é possível se cadastrar na lista de transmissão do Whatsapp neste link.



Texto:  Daniela Teixeira - MTB 61.891
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Parlamento Aberto Coronavírus

Notícias relacionadas