PIRACICABA, SEXTA-FEIRA, 5 DE JUNHO DE 2020
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

21 DE MAIO DE 2020

Comunicação não-violenta e adoção consciente são discutidas em live


A ativista da causa animal Miriam Miranda participou de entrevista em live do programa Parlamento Aberto nesta quarta-feira.



EM PIRACICABA (SP)  

Salvar imagem em alta resolução

A ativista da causa animal Miriam Miranda





“Se a gente tivesse uma comunicação menos violenta, isso refletiria em um mundo mais pacífico”, comentou a ativista da causa animal e fundadora da organização não-governamental Vira Lata Vira Vida, Miriam Miranda, durante entrevista para o programa Parlamento Aberto, nesta quarta-feira (20). Ela conversou com o jornalista Erich Vallim Vicente sobre o tema "Comunicação não-violenta: cultura de paz para os animais durante a pandemia", em live no perfil do Parlamento Aberto no Instagram.

Miriam explicou que o conceito de comunicação não-violenta, criado pelo psicólogo Marshall Rosenberg, trabalha no entendimento de uma pessoa sobre as situações, de modo a observá-las “de fora” e analisar as necessidades de si e do outro, sem apresentar um olhar de julgamento para o outro. “Entre o que eu sou e o que você observa durante a sua comunicação comigo, existe uma trajetória que muitas vezes é negligenciada pelas pessoas”, comentou.

A ativista usou as redes sociais como exemplo, nas quais as pessoas costumam adotar uma postura de julgamento com base em evidências rasas daquela com quem está comunicando-se. “Esse processo serve para nós, para a nossa família, para relações pessoais, questões judiciais e entre nações”, disse.

Em relação às percepções rasas provocadas pela falta de comunicação direta, Miriam também pontuou a questão da polarização política e ideológica na qual o país encontra-se. De acordo com a ativista, a polarização não favorece a população, pois fornece estímulos para a comunicação violenta. Miriam observou que é importante que a população apresente suas ideias e concepções de forma pacífica. “Nós temos que nos fazer entender de uma forma pacífica, porque ficamos muito perto de uma guerra civil a todo o momento”, disse.

LEI LOBO - Durante a entrevista, a ativista também comentou sobre a sua atuação no caso de repercussão nacional do cão Lobo. Em meados de novembro de 2011, o caso de um cachorro Rottweiller que foi arrastado por quilômetros pelo carro de seu tutor gerou a comoção de internautas, inclusive atores de TV.

Ela contou que o cachorro, após receber cuidados do Centro de Zoonoses de Piracicaba, foi encaminhado para os cuidados da ONG Vira Lata Vira Vida e levado a uma clínica para tratamento. Na ocasião, observou Miriam, a comunicação e a transparência geraram grande disseminação do caso, a abertura de um processo e a criação da petição para a Lei Lobo, que buscava atuar contra casos de maus tratos aos animais.

“O conteúdo da lei era muito interessante porque valorizava o protetor independente. Ele passaria a ser uma pessoa reconhecida e receberia ajuda do Estado”, disse Miriam.

Para a discussão da petição da Lei Lobo, a ativista esteve em Brasília (DF) com outros apoiadores da causa e levou a proposta para deputados, senadores e o Ministério da Justiça. O conteúdo da lei foi rejeitado devido à iniciativa de um deputado de alteração do Código Penal, o que inviabilizaria a aprovação da proposta.

ADOÇÕES DURANTE A PANDEMIA - Miriam também comentou na live sobre o aumento de adoções no período da pandemia do novo coronavírus, situação que, citou, foi motivo de esvaziamento de abrigos inteiros de animais nos Estados Unidos.

Ela alertou sobre a importância da adoção consciente, visto que a pandemia gerou uma situação de instabilidade econômica para grande parte das pessoas e a situação financeira deve ser observada no momento da adoção.

Miriam também criticou a falta de discussão em relação à situação dos animais no período da pandemia e após o fim do isolamento. “O animal está sendo adotado, amparado, mas não há um planejamento para ele se enfrentarmos uma crise mais profunda.” A ativista defendeu a adoção de medidas de prevenção ao abandono de animais.

ACESSE O CONTEÚDO! - As lives do programa Parlamento Aberto são transmitidas no perfil do Instagram @parlamento_aberto.

As entrevistas também podem ser acessadas no canal do YouTube do Departamento de Comunicação da Câmara de Vereadores de Piracicaba.

Para receber as informações do programa Parlamento Aberto direto no celular, cadastre-se na lista de transmissão do WhatsApp neste link.



Texto:  Larissa Souza
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Revisão:  Ricardo Vasques - MTB 49.918


Educação Parlamento Aberto Coronavírus Transparência

Notícias relacionadas