PIRACICABA, DOMINGO, 22 DE SETEMBRO DE 2019
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

19 DE JUNHO DE 2019

Plano Diretor deve ser compatibilizado com Lei Orgânica do Município


Atualizada pela última vez em 1996, LOM foi redigida antes do Estatuto das Cidades e agora passa por um processo de revisão



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Rafael Henrique da Silva (1 de 5) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Rafael Henrique da Silva (2 de 5) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Rafael Henrique da Silva (3 de 5) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Rafael Henrique da Silva (4 de 5) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Rafael Henrique da Silva (5 de 5) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Rafael Henrique da Silva Salvar imagem em alta resolução


A LOM (Lei Orgânica do Município) foi atualizada, pela última vez, em 1996, antes da publicação do Estatuto da Cidade, em 2001. Por conta desta diferença, o Plano Diretor não atende a todos os parâmetros previstos no texto legal, portanto deve, agora, ser compatibilizado com a chamada “Constituição da cidade”, que passa por revisão completa por colegiado instalado na Câmara de Vereadores de Piracicaba. 

Nesta terça-feira (18), a Comissão de Estudos da Câmara voltou a se reunir para dar continuidade ao processo de revisão da LOM e, ainda, do Regimento Interno do Legislativo, com a leitura e avaliação de cada um dos artigos destas legislações.

“Existem alguns artigos (na LOM) que trazem temas também abordados no Plano Diretor”, lembra Nancy Thame, presidente da Comissão de Estudos da Câmara. Ela cita, como exemplo, o Capítulo II da Lei Orgânica, que trata do Planejamento Urbano e Rural, “é totalmente diferente (do PD que está em vigor)”, avalia, ao lembrar que há maior complexidade na legislação de ocupação do solo, oriunda do Estatuto da Cidade. 

“A Lei Orgânica define as áreas de urbanização restrita, mas hoje mudou pouco, existe urbanização prioritária, obrigatória etc.”, analisa. Nancy destaca que, para avançar nesta análise, a Comissão de Estudos buscará amparos técnicos, tanto de fundação de Ribeirão Preto (que será contratada para auxiliar nos estudos do Plano Diretor) quanto do IGAM (Instituto Gamma de Assessoria a Órgãos Públicos). 

Membro da Comissão de Estudos, o vereador Laércio Trevisan Jr. (PL) destacou que o trabalho de revisão do Regimento Interno já chegou no artigo 170 (dentre 250). Já a LOM, só aguarda a análise de compatibilidade com o Plano Diretor.

COMISSÃO DE ESTUDOS - Instituída pela resolução 7/2017, a CE teve adesão de 14 vereadores, que definiram se reunir, quinzenalmente, sempre às terças-feiras, das 9 às 11 horas. Na reunião desta última terça-feira (18), participaram, além de Nancy e Trevisan Jr., os vereadores Lair Braga (SD) e Osvaldo Schiavolin, o Tozão (PSDB), o advogado Antônio Galdino, assessor jurídico do vereador Carlos Gomes da Silva, o Capitão Gomes (PP), e técnicos dos departamentos de Assuntos Jurídicos e Legislativo.



Texto:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tópicos: Plano DiretorCarlos Gomes da SilvaLaércio Trevisan JrLair BragaNancy ThameOsvaldo Schiavolin

Notícias relacionadas