PIRACICABA, SÁBADO, 25 DE MAIO DE 2019
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

01 DE FEVEREIRO DE 2019

Moschini defende exames preventivos e hábitos saudáveis contra câncer


Dia Mundial do Câncer, nesta segunda-feira, chama a atenção para a conscientização.



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução


O Dia Mundial do Câncer, na próxima segunda-feira (4), deve servir para lembrar a importância da realização de exames preventivos e da adoção de hábitos de vida saudáveis. É o que recomenda o vereador Ronaldo Moschini (PPS), que é médico ginecologista e obstetra e socorrista do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) em Piracicaba.

Em diversas ocasiões ao longo de seus dois mandatos na Câmara, o parlamentar alertou sobre a necessidade da conscientização, despertada por campanhas como o Outubro Rosa, voltada à prevenção do câncer de mama, e o Novembro Azul, direcionada a esclarecimentos sobre o câncer de próstata.

Em entrevista, Moschini chamou a atenção para o fato de o diagnóstico precoce do câncer de próstata aumentar em 90% as chances de cura. Ele lembra que um a cada oito homens pode desenvolver a doença e que o PSA é o exame mais indicado para detectar casos precocemente. O procedimento costuma ser solicitado no início das investigações médicas e outros exames complementam o diagnóstico, como o toque retal.

Moschini considerou de extrema importância as campanhas realizadas, especialmente porque ainda existem preconceitos e tabus quanto ao exame de toque retal. "Não diminui em nada a masculinidade de nenhum homem. Os tabus e os preconceitos podem ser deletérios à saúde do homem e até fatais", afirmou.

Segundo ele, a recomendação para que os exames PSA e de toque tenham início é de 45 anos. No caso em que há histórico familiar, a idade diminui em cinco anos. "Não podemos esperar os sintomas e as complicações para procurar o médico, devemos, sim, ter as nossas prevenções", recomendou.

Moschini também comentou sobre o câncer de mama. "É o tipo mais comum, o que mais mata as mulheres. São 120 mil mortes por ano. Uma a cada nove mulheres terá o problema", disse, ao destacar que os testes de papanicolau devem ser mais intensos a partir dos 40 anos, idade que também diminui quando há histórico na família.

Na tribuna da Câmara, durante reunião ordinária, o vereador recordou que, por ano, mais de 57 mil mulheres são diagnosticadas com câncer de mama no Brasil e que apenas a mamografia é capaz de detectar os tumores em estágio inicial, o que aumenta em 98% as chances de cura.

ALIMENTAÇÃO - Moschini também aconselha "ter conhecimento sobre a importância de hábitos saudáveis na prevenção de doenças". O risco de câncer, diz, diminui à medida que se adotam atitudes como parar de fumar, manter-se fisicamente ativo, aumentar a ingestão de cereais integrais, frutas, legumes e grãos, priorizar o consumo de água e bebidas sem açúcar e limitar o consumo de álcool.

O médico e vereador observa que "o câncer, já há algum tempo, não é uma questão apenas de saúde". "Ele afeta a vida social e econômica de pacientes e familiares, com os altos custos de tratamento, levando muitas vezes à redução dos rendimentos." Por isso, diz, é importante que "todos façam sua parte na luta contra o câncer".



Texto:  Comunicação Assessoria parlamentar
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tópicos: SaúdeRonaldo Moschini

Notícias relacionadas