PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 23 DE MAIO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

27 DE ABRIL DE 2018

José Longatto destaca criação do Hospital Regional


O parlamentar tem ocupado a Tribuna da Câmara, nas reuniões ordinárias para traçar um breve histórico sobre a idealização, criação e implantação da unidade local



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

José Longatto destaca criação do Hospital Regional




O líder de governo na Câmara, José Aparecido Longatto (PSDB), na 23ª reunião ordinária de ontem (26), foi o primeiro orador da noite a ocupar a Tribuna da Câmara, por 10 minutos regimentais para continuar sua trajetória de registro histórico sobre a construção do Hospital Regional "Dra. Zilda Arns", em debates iniciados no ano de 2008, por mais leitos, em discussões propostas pelo médico João Amaurício Pauli, que foi vereador, secretário de saúde e vice-prefeito, e quando candidato a prefeito colocou a proposta de um hospital municipal, mostrando a necessidade de aumentar o atendimento, na ampliação de mais leitos hospitalares, sendo que a proposta enfrentaria desafios em função das dificuldades em receber recursos federais e estaduais, para sua manutenção, uma vez que isto honeraria demais os cofres públicos do município, o que inviabilizaria a proposta.

Por outro lado, Longatto falou da experiência de Pauli, após quatro anos de observação sobre as dificuldades de internações de pacientes pelo SUS, nos dois hospitais credenciados em Piracicaba, o Santa Casa e o Fornecedor de Cana. E, da iniciativa, juntamente com o secretário de Saúde, Fernando Cárdenas, com o estudo da possibilidade de construção e implantação de um hospital público no âmbito regional.

O secretário de Esportes, o médico Pedro Mello também foi envolvido nas discussões, além dos médicos Sérgio Pacheco e, dos vereadores médicos, Márcia Pacheco e Ary  de Camargo Pedroso Júnior, além de outras lideranças na área da saude, além dos dois principais líderes de governo na Câmara, na época, os vereadores José Aparecido Longatto e José Luiz Ribeiro.

A partir deste diagnóstico, foi incluído no plano de governo, na gestão de 2008 a 2012, uma parceria entre o governo estadual e o ministério da Saúde, para viabilizar a implantação de um hospital público, de âmbito regional, com prioridade de atendimento para os 11 municípios da micro região de Piracicaba, o que garantiria a manutenção do hospital com o aporte de recursos das demais esferas de governo.

Longatto disse que vencida as eleições de 2008, foi criado uma comissão para estudar o projeto, orçamento e recursos necessários, baseado em levantamentos que comprovavam a necessidade da unidade, com um projeto de hospital horizontal, de forma modular, que fosse construído em etapas, o que requeria a utilização de um terreno maior, onde o hospital teria 220 leitos, entre enfermarias, centro cirúrgico, UTI e leito/dia.   

Longatto informou que o Ipplap (Instituto de Planajamento e Pesquisa), liderado por João Chaddad, fez vários estudos, além de consultas à consultorias especializadas, no projeto preliminar e executivo, com aporte na LOA (Lei Orçamentária Anual) e no PPA (Plano Plurianual), com vistas ao terreno na região do bairro Taquaral, próximo ao Santa Rita e Perdizes, devido à sua acessibilidade, pela avenida Pompeia e rodovia do Açúcar, proximidades com a Unimep, com vários cursos na área da saúde, viabilizando a utilização de estagiários.

Longatto também falou do terreno, que era de propriedade da Usina Furlan, de Santa Bárbara, que contou com a sensibilidade da família Furlan, na aquisição da área, de 85 mil metros quadrados, doada em permuta, além de parceria para garantir tratamento de esgoto e asfalto da região, onde a prefeitura obteve a posse da área.

O projeto executivo definiu o prédio, de 18.706 metros quadrados, numa primeira parte, com 132 leitos de internação, 84 leitos de enfermaria, 20 de UTIs e 28 semi intensivo, além de um centro cirúrgico central, com sete salas e três salas do centro cirúrgico do Hospital/Dia. Para, quando houver possibilidade, ampliação de mais blocos, com 3000 metros quadrados, gerando mais 42 leitos, de enfermaria cada, totalizando 6 mil metros quadrados e oferecendo 82 novos leitos, totalizando 216 leitos.

Longatto concluiu suas explanações destacando que foi uma longa etapa que se estabeleceu, em parceria para a manutenção do hospital, onde toda a sociedade foi envolvida, com universidade e entidades de classe. Além de prefeituras da região e do governo do Estado e governo federal.



Texto:  Martim Vieira - MTB 21.939
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: Reunião OrdináriaJosé Longatto

Notícias relacionadas