PIRACICABA, SEXTA-FEIRA, 15 DE DEZEMBRO DE 2017 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

29 DE AGOSTO DE 2017

Governo Aberto é tema de oficina da Escola do Legislativo


Tema encerra ciclo de cinco oficinas oferecido pelos jovens da equipe Eixo Público – Consultoria Júnior



EM PIRACICABA (SP)  

Salvar imagem em alta resolução

Encerra-se nesta quarta-feira (30) o ciclo de cinco oficinas oferecido pela Escola do Legislativo, em parceria com jovens da equipe Eixo Público – Consultoria Júnior, composta por alunos do curso de administração da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) de Limeira, que se credenciaram como professores voluntários.

A oficina “Governo Aberto, que Bicho é Esse?” acontece das 13h às 17h e será conduzida pelos cinco alunos que estiveram à frente de todo o ciclo: Juliana Ferreira Mendes, Larissa Aparecida Prevato Lopes, Larissa Estequi Pulzatto, Lana Aline Faria e Matheus Magalhães da Silva.

Iniciadas em 2 de agosto, as aulas de qualificação foram gratuitas e abertas à participação de servidores públicos e da população em geral, com o objetivo de que houvesse maior compreensão do ciclo básico de gestão, construção e desenvolvimento de políticas públicas.

Além disso, as oficinas foram voltadas para trazer maior compreensão da Lei de Acesso à Informação (lei federal 12.527/2011) e para o desenvolvimento de conhecimentos para elaborar projetos de forma estruturada.

Os temas trabalhados a cada semana de agosto, sempre com duração de quatro horas cada, foram: Elaboração de Projetos, Acesso à Informação, Formulação de Políticas Públicas, O Monitoramento e a Avaliação das Políticas Públicas e O Governo Aberto, que Bicho é Esse?

Na aula que encerra o ciclo, a equipe contextualizará os participantes a respeito das práticas e dos princípios do “Governo Aberto”, que visa à promoção da transparência, luta contra a corrupção, conta com maior participação social e desenvolvimento de tecnologias inovadoras, que além de tornar os governos mais abertos, sustenta responsabilidade e efetividade no ato de governar.

“Na oficina de ‘Governo Aberto’, retomaremos alguns pontos importantes já discutidos anteriormente, como transparência, participação social e inovação”, disse Matheus Magalhães, um dos coordenadores da equipe.

Buscando soluções para tornar a cidade uma referência de governança, a aula desta quarta-feira também trará uma nova abordagem referente aos pilares do “Governo Aberto”: “accountability” e prestação de contas, que são regras e mecanismos estabelecidos para justificar ações dos atores que atuam sobre críticas e exigências. Segundo Matheus, a apresentação “vai mostrar que essas práticas são possíveis e que alguns países e estruturas subnacionais estão trabalhando fortemente na consolidação delas”.

“A ideia é realmente ‘plantar uma sementinha’ entre os piracicabanos, para que a gestão pública da cidade esteja cada vez mais atrelada às suas realidades e necessidades, tudo isso sempre numa linguagem de fácil compreensão e próxima dos participantes”, enfatizou Matheus.

Lucila Regina Cabrera, assessora parlamentar do gabinete da vereadora Coronel Adriana (PPS), participou de todo o ciclo. “Pude entender melhor sobre a criação e a formulação de projetos, para que tenham uma melhor aceitação. As oficinas também foram bastante construtivas para aprender a fazer um bom requerimento”, disse.

Questionada sobre a expectativa para a última aula de qualificação do ciclo, Lucila afirmou estar “bastante ansiosa”. “Acredito ser de grande importância dentro das minhas funções no gabinete”, comentou a assessora.

Luiz Carlos de Lima Júnior, estudante do curso técnico legislativo da Etec Fernando Febeliano da Costa, se sentiu presenteado com as informações obtidas na participação. “Nestas semanas adquirimos informações que antes tínhamos dúvidas, como por exemplo elaborar projetos, ter acesso à informações públicas e formas de pedidos. Aprendemos também a como formular políticas públicas, seus aspectos, ferramentas e formas” complementou.

O participante ainda destacou algumas atividades que, segundo ele, foram fundamentais e esclarecedoras, como a “formação de agendas políticas, processo de tomada de decisão, implementação, formas de avaliação e monitoramento do setor público”, ressaltou Luiz.

“Ao longo dessas cinco semanas, tivemos discussões acaloradas e propostas de projetos fantásticas sendo formuladas pelos participantes, mas, acima de tudo, muita curiosidade da parte deles, o que nos mostrou que o formato da oficina realmente foi o mais acertado”, avaliou Matheus.



Texto:  Maira Bacellar
Supervisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583


Tópicos: Escola do Legislativo

Notícias relacionadas