PIRACICABA, QUINTA-FEIRA, 21 DE SETEMBRO DE 2017 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

05 DE SETEMBRO DE 2017

Crise na Unimep: Milton Souto reafirma compromisso do metodismo


O professor universitário contextualiza a presença das instituições metodistas em Piracicaba.



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Crise na Unimep: Milton Souto reafirma compromisso do metodismo




Os 150 anos da presença das instituições metodistas em Piracicaba foi destaque na fala do professor universitário Milton Souto ao ocupar a tribuna popular na 49ª reunião ordinária de ontem (4), por 10 minutos, para discorrer sobre a crise na Unimep. 

Na conclusão da fala do orador, o presidente Matheus Erler (PTB) reafirmou o papel da Câmara na luta pela autonomia da instituição de ensino, que resultou na elaboração do projeto de criação do Fórum de Defesa da Unimep, a ser votado nas próximas sessões. "Educação não é mercadoria", disse Erler.

Milton Souto reafirmou que a Unimep é uma instituição metodista, de 150 anos no Brasil, envolvendo uma comunidade de 250 mil pessoas, se notabilizando pelas suas instituições de ensino, da educação básica ao ensino superior, sendo que aqui em Piracicaba, temos uma das primeiras instituições da cidade que se confundem com a própria história da educação piracicabana, que representa o Colégio Piracicabano, que completa nesta semana, 138 anos.

A consideração é que a cidade sempre acolheu muito bem as instituições metodistas. Souto também lembrou que a Unimep era para construir seu campus na área que hoje está o Shopping Piracicaba. E, que em negociação com a prefeitura foi para o Taquaral.

O professor da Unimep também lembrou dos relevantes serviços que a instituição presta à sociedade piracicabana, além de contar com diversos programas de extenção universitária, sendo referência perante as instituições metodistas no país, sendo que isso também foi constituído na relação com a cidade de Piracicaba, o que resultou na elevação e propagação da cultura local e da reverência a certos ícones, como o rio Piracicaba e o XV de Novembro, além de eventos marcantes na história, como a realização de congressos, com a participação de lideranças nacionais e internacionais. "A Unimep já faz parte do patrimônio cultural e científico da cidade, juntamente com outras instituições de ensino, sobretudo as de caráter público, a exemplo da Esalq e a Unicamp", disse.

Souto avaliou que a Unimep já passou por outros momentos como o que está passando agora, com o país e o mundo também passando por isso, sendo que a resposta para esta crise tem sido muita negociação e até doação "de nós professores", quando já chegamos até doar salários, em prol da estabilidade financeira da Unimep.

O professor também enfatizou o texto "Vida e Missão", que norteia o pensamento do metodismo, sendo que a educação nunca foi colocada como mercadoria, para ser vendida, sendo que está posta para a educação do homem, segundo os valores cristãos, onde a Unimep foi elevada à um patamar respeitado no cenário nacional acadêmico.

Souto também apresentou um documento da igreja Metodista, do Concílio, para mostrar a transformação da pessoa, numa nova criatura, num novo mundo, na perspectiva do povo de Deus, motivando educadores e educandos para se tornarem agentes positivos de libertação através de uma prática educativa, de acordo com o evangelho, respeitando a cultura dos participantes do processo educativo, sendo que "nós não estamos sendo respeitados neste momento", disse.

Souto ainda comentou sobre as diretrizes e outras normas da Igreja, que devem se pautar pela missão de educar, de formar, de acordo com os documentos oficiais da igreja e as necessidades locais.  "A educação é vista como uma missão", destacou o professor para mostrar que a educação não está colocada como mercadoria.

Souto também comentou que na semana passada, o diretor geral do IEP, Ricardo Rocha teria se dirigido aos funcionários para dizer que a instituição seria como uma fábrica. "Não é missão da fábrica formar cidadão", considerou o professor, embora enfatizando que implicitamente também pode ser considerada esta perspectiva, na Constituição Brasileira, no artigo 205 apresentando três condições básicas da educação: pleno desenvolvimento da pessoa, preparo para o exercício da cidadania e qualificação para o trabalho.

O professor Milton Souto encerrou suas considerações enfatizando o papal da formação cidadã e, solicitou que após a criação do Fórum em Defesa da Unimep, uma das sessões aconteça na própria instituição, como forma de participação e adensamento da sociedade piracicabana.

 



Texto:  Martim Vieira - MTB 21.939
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: Legislativo

Notícias relacionadas