PIRACICABA, SEGUNDA-FEIRA, 15 DE JULHO DE 2019
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

28 DE JUNHO DE 2019

Câmara acolhe manifestação dos municipais em prol da Guarda Civil


A defesa é pela Instituição Guarda Civil Municipal de Piracicaba, amparada pelos preceitos legais da Constituição Brasileira



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 (1 de 2) Salvar imagem em alta resolução

Osmir Bertazoni

Osmir Bertazoni
Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 (2 de 2) Salvar imagem em alta resolução

Gissom Amorim

Gissom Amorim
Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Osmir Bertazoni






O diretor do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Piracicaba e Região, José Osmir Bertazoni e o presidente da SindGuarda (Sindicato dos Servidores da Guarda Civil de Piracicaba), Gissom Costa Amorim, na 38ª reunião ordinária desta quinta-feira (27) se revezaram no uso da Tribuna Popular da Câmara para fazer a defesa da integridade física e moral dos cerca de 500 profissionais que atuam na Corporação, frente a comentários indevidos que um certo cidadão proferiu neste mesmo espaço democrático a que a Casa de Leis disponibiliza às manifestações populares. Sem ter qualquer procuração, esta pessoa fez comentários sobre a conduta de parte do pessoal da Guarda.

"A surpresa é que se trata de uma pessoa que não representa ninguém, que não tem outorga para isso, que falou inverdades contra a Instituição", disse Bertazoni, que também citou o legado de luta dos servidores, principalmente no ano de 1989, com o movimento de greve de 15 dias, que mostrou a coragem dos integrantes da Guarda Civil Municipal de Piracicaba.

Bertazoni também reiterou que ninguém delegou representação para que esta determinada pessoa falasse em nome da Corporação, pois  nenhum guarda é covarde, para tremer nas pernas, não sendo preciso alguém para falar em seu nome.

O sindicalista também disse que a Câmara deveria rever a liberação do espaço para uso da palavra na tribuna popular. Além de reiterar que o porte de armas  foi autorizado pela Polícia Federal, com o respaldo de psicólogo, perante o universo de 500 guardas municipais.

Para Bertazoni, a Guarda passou por fatos vexatórios ao ser exposta da maneira como foi, por um usurpador que usou a tribuna popular. "O direito de petição está contido na Constituição", finalizou o sindicalista.

Na sequência, o presidente do SindGuarda, Gissom Amorim, concluiu as explanações, enfatizando o exemplo da Guarda Municipal perante o Brasil inteiro, sendo injusto alguém levantar suspeitas contra a Instituição.

"Vamos tomar as medidas cabíveis contra estas pessoas. Não é verdade que 20 a 30% da Guarda tem problemas psicológicos. Somos 435, passamos por treinamentos todos os anos, incluindo exames psicológicos. São conquistas com muito esforço e dedicação. Não aceitaremos este tipo de crítica. Não aceitaremos que maculem o nome da Guarda. Esta Casa não pode permitir o que a pessoa bem entender", disse. 



Texto:  Martim Vieira - MTB 21.939
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: Tribuna Popular

Notícias relacionadas