PIRACICABA, QUINTA-FEIRA, 13 DE DEZEMBRO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

21 DE DEZEMBRO DE 2017

Santa Olímpia solicita apoio de Nancy para projeto de reflorestamento


Objetivo é a recuperação de área entre os distritos de Ártemis e Santa Olímpia que pertence à microbacia do córrego de Ceveiro e tem várias nascentes



EM PIRACICABA (SP)  

Salvar imagem em alta resolução


Moradores de Santa Olímpia e integrantes do Conseg (Conselho Comunitário de Segurança de Piracicaba) procuraram a vereadora Nancy Thame (PSDB) e solicitaram apoio para organização do projeto de reflorestamento em uma área localizada na região rural (norte) do município, entre os distritos de Ártemis e Santa Olímpia, que pertence a microbacia do córrego de Ceveiro, onde existe várias nascentes.

O presidente do Conseg, Márcio José Pereira, relatou que ação é necessária para proteção das nascentes existentes no loteamento Lago Azul, que por muitos anos serviu de abastecimento para a cidade e hoje sofre assoreamento e degradação.

“A identificação das nascentes só foi possível devido a solicitação de moradores da região que procuraram o conselho para resolver problemas de segurança envolvendo usuários de drogas. Ao visitar o local, detectamos os mananciais”, explanou.

Diante do problema a parlamentar propôs uma reunião entre as instituições que podem viabilizar o projeto, envolvendo a Sedema (Secretaria de Defesa do Meio Ambiente), Defesa Civil, Conseg (Conselho Comunitário de Segurança), Escola de Agricultura Luiz de Queiroz – Esalq/USP e a empresa Raízen.

“Viabilizamos essa reunião que resultou no interesse de todas as instituições em participar. Propusemos uma agenda de ações e uma nova reunião para o dia 23 de janeiro”, afirmou.

O secretário municipal do Meio Ambiente, José Otávio Machado Mentem, informou que essa bacia não foi incluída no Programa de Pagamento por Serviços Ambientais nesse primeiro momento e se propôs conversar com os técnicos e parceiros do programa para estudar a possibilidade de incluí-la.

Débora Barros, representante da Raízen afirmou que a empresa está à disposição para cooperar e verificar junto aos proprietários das terras que são arrendadas se estão dispostos a participar. A Esalq se propôs a elaborar um projeto e intermediar junto a ONGs e empresas de reflorestamento e replantio de áreas degradadas para viabilizar a implantação no local.



Texto:  Assessoria parlamentar
Supervisão:  Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Revisão:  Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tópicos: Infraestrutura Urbana

Notícias relacionadas