PIRACICABA, DOMINGO, 25 DE FEVEREIRO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

20 DE DEZEMBRO DE 2017

Escola do Legislativo recebeu 2 mil pessoas no primeiro ano


Balanço foi divulgado pela direção e coordenação do órgão, vinculado à Câmara de Vereadores de Piracicaba



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

No primeiro ano de funcionamento, a Escola do Legislativo possibilitou a formação gratuita de 2.008 pessoas, diz o balanço divulgado pela direção e coordenação do órgão, vinculado à Câmara de Vereadores de Piracicaba.

De abril a dezembro foram promovidos 60 cursos, palestras e debates, avaliados positivamente por 95% dos frequentadores. Para 2018, sete atividades já estão fechadas e a previsão é que o cronograma das ações esteja disponível em janeiro.

“Foi um ano muito difícil, mas também muito vitorioso”, avalia a vereadora Nancy Thame (PSDB), diretora da Escola do Legislativo. Ela detalha que a metodologia de trabalho foi baseada em experiências de entidades que atuam com temas suprapartidários e apartidários. “Existe este novo olhar de práticas legislativas, onde você atua de maneira mais coletiva”, diz.

A vereadora cita que a Escola tem seu “braço pedagógico” composto por eixos e que, além da educação, o objetivo final é o fortalecimento da cidadania. “Cada pessoa que participa é um voto, uma voz, independente da condição social e da escolaridade”, diz a parlamentar.

Segundo Fábio Bragança, coordenador da Escola e diretor do Departamento de Documentação e Arquivo, os cursos e palestras que tiveram fila de espera este ano serão oferecidos novamente em 2018. Entre eles estão Cerimonial e Protocolo Público, Estatuto da Cidade e o Plano Diretor, Gestão de Projetos e Jornalismo no Ambiente Legislativo.

A intenção também é transformar em ciclo um tema trabalhado este ano, Transparência e Políticas Públicas, desenvolver os ciclos Gestão Documental e Direito, e manter os ciclos Iniciação Política e Cerimonial.

“Nas próximas reuniões estudaremos os eixos temáticos que poderão ser melhor explorados”, disse, citando que, em 2017, as atividades foram divididas nos eixos temáticos Educação para a Cidadania, Capacitação para Agentes Políticos, Difusão Cultural e Capacitação e Atualização de Corpo Técnico de Servidores e Vereadores.

Para o segundo semestre do próximo ano está previsto o término do curso Técnico Legislativo, desenvolvido com Centro de Paula Souza/Etec Professor Coronel Fernando Febeliano da Costa. As aulas começaram no segundo semestre de 2017, com carga de 1.570 horas.

CRIAÇÃO – A criação da Escola ocorreu em dezembro de 2014, a partir do decreto legislativo 63, de iniciativa do então vereador João Manoel dos Santos (PTB). A Escola saiu do papel efetivamente em janeiro deste ano, quando o presidente da Câmara, Matheus Erler (PTB), definiu sua estrutura organizacional.

Na avaliação de Erler, a Escola do Legislativo contribuiu para aproximar a sociedade das ações da Câmara. “A atual mesa diretora tem a transparência dos seus atos como prioridade de gestão e trabalha para ampliar a participação popular. A Escola levou conteúdo crítico e tem contribuído de forma significativa na formação dos cidadãos, trazendo para a Câmara também lideranças políticas e comunitárias”, disse o vereador.

HISTÓRICO – As atividades da Escola do Legislativo começaram oficialmente em 25 de janeiro, quando ocorreu a aula magna com o professor de direito ambiental Paulo Affonso Leme Machado e Roberto Lamari, advogado e fundador do órgão na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e na Câmara Municipal de São Paulo. A doutora em ciências sociais Andréa Gozetto ministrou o primeiro curso, em 3 de abril, Advocacy: Ferramenta para Influenciar os Rumos do Brasil.

Temas de relevância sociais estiveram em discussão nas palestras, cursos e debates, como os riscos da internet, regularização fundiária, educação ambiental, empoderamento feminino, economia doméstica e finanças pessoais, Lei Maria da Penha, Estatuto do Idoso, monitoramento e avaliação das políticas públicas, qualidade de atendimento ao cliente, entre outros.

Desde julho, a Escola conta também com um conselho, formado por Josué Adam Lazier, da Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba) e Heliani Berlato dos Santos, da Esalq/USP (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo), além do vereador Pedro Kawai (PSDB), que representa a Mesa Diretora da Câmara, o advogado Mauro Rontani, assessor jurídico da Presidência do Legislativo, e Fernanda Micossi, servidora do Departamento de Documentação e Arquivo.

A função do conselho é a de contribuir com as ações pedagógicas e estruturais da Escola. Nancy avalia que a criação vem com o objetivo dar base institucional aos trabalhos. “O institucional precisa ser fortalecido e a gente precisa criar esta metodologia, o grande lance é trabalhar para conseguir fazer algo diferente”, diz.



Texto:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337 Rodrigo Alves - MTB 42.583
Supervisão:  Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tópicos: Escola do LegislativoNancy Thame

Notícias relacionadas