PIRACICABA, SEGUNDA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2019
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

09 DE ABRIL DE 2019

Título de Piracicabanus Praeclarus será entregue a Nelson Paulieri


Natural de Ibitiruna, o homenageado se graduou em engenharia agrônoma pela ESALQ/USP



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Propositura foi aprovada na noite desta segunda-feira (8), na 18º reunião ordinária



Por meio do projeto de decreto legislativo 8/2019, de autoria do vereador Wagner Oliveira, o Wagnão (PHS), o título de Piracicabanus Praeclarus será entregue a Nelson Paulieri Sabino, natural de Ibitiruna, distrito de Piracicaba. A propositura foi aprovada na noite desta segunda-feira (8), na 18ª reunião ordinária.

Nelson Paulieri Sabino nasceu em 26 de junho de 1940, na fazenda Serra Negra, de propriedade da família Paolieri Sabino, em Ibitiruna. Neste local, viveu até os 7 anos com seus pais, Natalio Zanotta Sabino e Assunta Paolieri Sabino, quando, com eles e os quatro irmãos, fixaram residência na cidade de Piracicaba, para iniciar seus estudos.

Há 50 anos, é casado com Valdívia Stolf Sabino. Têm uma filha chamada Juliana, casada com Fernando Martins e uma neta, a Maria Fernanda.

Nelson fez inicialmente o curso primário no Colégio Piracicabano, o ginásio e o científico no Colégio Dom Bosco, sendo um dos pioneiros dessa exemplar Instituição de Ensino Básico.

Em 1962, ingressou na ESALQ/USP (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz). Fez o curso de graduação em engenharia agrônoma durante cinco anos com bolsa de iniciação científica, concedida pelo CNPQ (Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico). Em 1966, recebeu o tão sonhado diploma de engenheiro agrônomo.

“Hoje, depois de mais de cinquenta anos, já comemorou o jubileu de ouro da sua graduação, juntamente com os integrantes da inesquecível Turma F-66. Também, nessa mesma universidade, fez curso de pós-graduação em nutrição mineral de plantas, obtendo o título de Doutor em Agronomia, no ano de 1973”, contou Wagnão.

Nelson trabalhou no IAC (Instituto Agrônomo de Campinas) desde 1967, tendo ocupado os cargos de chefe da seção de tecnologia de fibras, diretor da divisão de plantas industriais, diretor do centro de grãos e fibras, diretor do serviço de divulgação técnico-científica, coordenador da pesquisa agropecuária da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo e, por fim, cargo de diretor geral do IAC, eleito pelo seu corpo de pesquisadores científicos, durante o período de 1983 a 1988.

Ainda no IAC, desenvolveu por 36 anos ininterruptos, atividades de investigação científica na seção de tecnologia de fibras, envolvendo a cultura do algodoeiro com ênfase para a qualidade tecnológica da fibra e do fio dessa malvácea. “Ele também participou do grupo responsável pela criação do Centro Nacional de Algodão, da EMBRAPA. Foi ainda vice-presidente da AEASP (Associação dos Engenheiros Agrônomos do Estado de São Paulo), inspetor do CREA (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia) e presidente do clube dos agrônomos de Campinas”, continuou o parlamentar.

Atualmente, Nelson é aposentado do serviço público e dedica-se principalmente às atividades agropecuárias de sua propriedade rural, a Quinta das Palmeiras, situada no Bairro de Ibitiruna. Integra os grupos dos alunos pioneiros do Colégio Salesiano Dom Bosco, a Comissão do Jubileu de Ouro da Turma dos F-66 da Esalq e a coordenação, desde 2005, das atividades do grupo dos pesquisadores científicos aposentados do Instituto Agronômico de Campinas, composto por cento e quarenta colegas.



Texto:  Ana Caroline Lopes
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tópicos: LegislativoWagner Oliveira

Notícias relacionadas