PIRACICABA, SÁBADO, 16 DE DEZEMBRO DE 2017 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

05 DE DEZEMBRO DE 2017

Requerimento questiona falta de vagas em período integral em creche


Propositura de Trevisan foi aprovada por unanimidade na 71ª reunião ordinária.



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Requerimento será encaminhado ao Executivo




Por meio do requerimento 783/2017, o vereador Laércio Trevisan Jr. (PR) solicita à Prefeitura informações sobre a situação das crianças que estão concluindo o maternal II, em tempo integral, na creche "Lygia Amaral Gobbin", no bairro Santa Rosa, e que, em 2018, serão transferidas à Escola Municipal "Antônia Jesuína Camillo Pipa" para frequentar o jardim I em meio período. A propositura foi aprovada na 71ª reunião ordinária, nesta segunda-feira (4).

Trevisan aponta que a mudança dos alunos de período integral para meio período afetará a rotina dos pais que trabalham e precisam deixar seus filhos nas creches. No requerimento, o vereador pergunta quantas crianças serão transferidas para a "Antônia Jesuína Camillo Pipa" e se a escola municipal não teria uma sala de aula disponível para que fosse aberta uma classe de jardim I em período integral, a fim de comportar os alunos que virão da "Lygia Amaral Gobbin".

O parlamentar indaga, ainda, por qual razão as crianças que estão sendo transferidas não serão matriculadas em período integral em 2018 e qual é o critério de seleção usado pela Secretaria Municipal de Educação para determinar quem vai para o período integral ou para o parcial.

Ao justificar o requerimento, em fala na tribuna, Trevisan ressaltou que existem 124 escolas municipais em Piracicaba e, mesmo assim, faltam vagas para o período integral. "Gostaria de que a Mesa fizesse, em nome de todos os vereadores, a convocação da secretária de Educação, Ângela Correa, para prestar esclarecimentos e que ela, como agente pública, administradora da Educação, resolva essa situação pendente", solicitou o parlamentar.

O vereador Gilmar Rotta (PMDB) também ocupou a tribuna para debater o tema e destacou, em sua fala, os critérios de aceitação nas vagas. "Não podemos mudar as regras na semana de rematrícula. Tem que haver um estudo com antecedência", argumentou. "Gostaria de solicitar que a secretária reveja os critérios em 2018. Renda familiar, por exemplo, não tem que ser opção na educação. O Poder Público é obrigado a dar educação para todos", afirmou.

Paulo Campos (PSD) mostrou-se favorável ao requerimento, em sua fala na tribuna, e endossou o comentário de Gilmar Rotta sobre a disponibilidade de vagas ser independente da condição socioeconômica da família do aluno. Ele também sugeriu a realização de uma audiência pública para análise do tema.

José Longatto (PSDB), líder do governo Barjas Negri (PSDB) na Câmara, afirmou que vai levar a reivindicação ao prefeito e defendeu que oferecer vaga para todas as crianças é "complicado financeiramente". "O período parcial foi instituído para minimizar o problema de vaga. Não tem creche para abrigar todo mundo", observou. "Todos têm direito a creche, mas é humanamente impossível ter todas as crianças em período integral; não há dinheiro para isso", completou.

Longatto também apontou que a rede pública municipal atende 18.150 crianças e que a lei federal determina que as cidades destinem 25% de seu Orçamento à educação (em Piracicaba, são gastos 30%).

O último vereador a debater a propositura na tribuna foi Pedro Kawai (PSDB). "O momento é crítico, precisamos buscar soluções com o Conselho Municipal de Educação", afirmou. Kawai também lembrou que o número determinado de crianças por sala é sete, levando em conta a segurança dos alunos.



Texto:  Débora Bontorim Saia
Supervisão:  Ricardo Vasques - MTB 49.918
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: LegislativoLaércio Trevisan Jr

Notícias relacionadas