PIRACICABA, TERÇA-FEIRA, 10 DE DEZEMBRO DE 2019
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

12 DE NOVEMBRO DE 2019

Munícipe defende trabalho conjunto entre população e prefeitura


Ronderson Batista Santos utilizou a Tribuna Popular na noite desta segunda-feira (11)



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

De acordo com Ronderson Batista Santos, prefeitura mão pode agir sozinha






O encanador Ronderson Batista Santos utilizou a Tribuna Popular, nesta segunda-feira (11), durante a 66ª reunião ordinária, para tratar de assuntos gerais da cidade de Piracicaba. De acordo com ele, não se pode somente pedir as coisas para que a prefeitura realize, mas é necessário que a população se conscientize sobre os pontos cruciais do munícipio e passe isso para os seus filhos.

Santos reforçou que muitas pessoas dizem que vereadores ‘velhos’ têm de sair, mas, de acordo com ele, estes conquistaram os votos. “Quando um vereador, autoridade, prefeito ou secretário dá uma pedalada errada, todo mundo vem 'bater' em cima. Mas quando o vereador faz o bem, muitas pessoas não lutam para mostrar o que ele fez”, disse.

Sobre a política, o munícipe relatou que em Piracicaba há diversas pessoas que irão se candidatar no ano que vem. “Nós não podemos deixar Piracicaba inteira se candidatar. Nós só temos 23 vagas aqui e sabemos que para um de nós, que lutamos para ser vereador, alguém de vocês (vereadores) terá que perder a eleição”, contou.

O orador também falou sobre questões da moradia popular e relembrou sobre as famílias que perderam seus barracos na comunidade Três Porquinhos. De acordo com ele, muitas pessoas falam que o prefeito tem que ir e dar casas a eles, porém ele não pode fazer isso de qualquer jeito. “Se ele der 21 casas lá, ele também tem que dar para as pessoas que invadiram”, advertiu.

Santos disse que é preciso que Piracicaba acorde e oriente os seus filhos sobre a cidade nos dias de hoje. Ele reforçou que hoje as crianças não têm mais a educação do passado, elas chupam uma bala ou um sorvete e jogam o papel no pé de seus pais. “Depois o que acontece? As pessoas falam que o prefeito não faz nada. Mas temos que fazer o nosso papel também. Esses dias eu tampei um asfalto no Monte Alegre que paguei R$ 35,00. Podia ter comprado uma caixa de leite, mas não fiz. O buraco ficou mais bem tapado do que se uma empresa tivesse feito”, disse.

A exploração dos pontos de turismo da cidade também foi reivindicada pelo munícipe. Ele sugeriu também que os garis sejam funcionários públicos e não terceirizados, além de colocação de ar-condiconado nos ônibus públicos.



Texto:  Ana Caroline Lopes
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Revisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: Tribuna Popular

Notícias relacionadas