PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 23 DE MAIO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

11 DE MAIO DE 2018

Câmara rejeita urgência para votação de requerimento


Pedido do vereador Laércio Trevisan Jr. (PR) foi negado por 12 votos durante a reunião ordinária desta quinta-feira (10)



EM PIRACICABA (SP)  

Salvar imagem em alta resolução

Requerimento 300/2018 foi rejeitado pelo Plenário na quinta-feira (10)




A Câmara de Vereadores de Piracicaba rejeitou a urgência de votação do requerimento 299/2018 durante a 26ª reunião ordinária, na noite desta quinta-feira (10). A solicitação para apreciação da matéria partiu do autor, Laércio Trevisan Jr. (PR), e foi negada por 12 votos contrários, sendo sete a favor. A propositura retornará na Pauta de segunda-feira (14). 

O requerimento 299/2018 pede informações sobre o afastamento de Miromar Rosa, jornalista concursado do Legislativo, e a nomeação dele como chefe de gabinete do prefeito Barjas Negri desde janeiro de 2017. 

O assunto foi debatido por Trevisan Jr. e pelo vereador José Aparecido Longatto (PSDB), líder do governo na Casa. “É justo nós sabermos a verdade, é justo a gente ter o direito, como órgão fiscalizar, saber porque ele está afastado”, questionou o parlamentar do PR. 

Trevisan Jr. argumenta que Miromar foi afastado por uma “licença especial temporária” e, sendo assim, o parlamentar diz que tem o direito de saber qual o motivo deste afastamento. “Em menos de dois meses, foi concedida uma outra licença, mas o artigo pelo qual ele foi afastado não permite uma afastamento desta natureza”, enfatizou o vereador. 

Longatto disse que votou contra a urgência, porque o mesmo requerimento já foi motivo de discussão em outras oportunidades e já foi aberta uma sindicância para apurar as mesmas perguntas. “E, pelo que sabemos, a sindicância mostrou que está tudo dentro da lei”, declarou. “O prefeito tem a prerrogativa de convocar quem ele deseje para trabalhar na Prefeitura.” 

O parlamentar destacou ainda que presidente da Casa, Matheus Erler (PTB), já assinou o relatório da sindicância. “O Miromar não está lá (na Prefeitura) clandestinamente e está recebendo o salário da Prefeitura. Por isso, votei contra a urgência e vou votar contra o requerimento”, disse.



Texto:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: LegislativoLaércio Trevisan Jr

Notícias relacionadas