PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 11 DE DEZEMBRO DE 2019
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

03 DE SETEMBRO DE 2019

Brado de José Mariano pela restauração da São Benedito ecoa na Câmara


O ancião, nos seus 83 anos reafirma jornada na busca de sensibilizar o poder público em respeito ao legado no entorno da Igreja de São Benedito com relação ao povo negro



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Brado de José Mariano pela restauração da São Benedito ecoa na Câmara






José Mariano (83), na 47ª reunião ordinária de ontem (2) retornou à tribuna popular da Câmara, por 10 minutos, para mais uma vez reafirmar a sua luta em prol do resgate histórico, cultural, patrimonial e imaterial do legado que envolve o entorno da Igreja de São Benedito e, que também envolve marco simbólico de reconhecimento de cemitério dos escravos, que outrora existiu na praça Jorge Tibiriçá, onde hoje está situada a Escola Estadual Moraes Barros, cruzamento das ruas Do Rosário com a Treze de Maio, região central de Piracicaba. 

José Mariano iniciou sua fala em agradecimentos pelo recebimento da medalha de mérito Zumbi dos Palmares, concedida pela Câmara de Piracicaba, conforme iniciativa de Marcos Abdala (REP). 

"Hoje, entro aqui por essa Medalha, sempre lutei e vocês reconheceram, e estou lutando com honestidade. A gente fala, lida com todas as pessoas, mas não sai disso. Agora, depende da Prefeitura fazer alguma coisa sobre o que está acontecendo. Aquele cemitério, olha gente, os negros sofreram tanto e está lá, jogado, e ninguém vê isso."

"Não adianta medalha para mim, se a situação não sai disso. Medalha eu tenho bastante, eu luto bastante. A Igreja de São Benedito é a primeira do Município de Piracicaba, pertence à Irmandade de São Benedito, onde estão estes documentos?. Eu acho que alguém de vocês poderia entrar nesta luta para ver o documento, a gente vai cansando, a idade vai subindo, a gente quase não tem como caminhar. Eu preciso de vocês para ajudar."

"Piracicaba foi construída nas costas dos negros que vieram da África, não recordam disso?. O Mariano está falando com vocês, com muita calma, mas não está adiantando. Então, a gente vai ter que fazer isso, seja a Casa de Leis, seja o Executivo, vão ter que sentar e conversar comigo."

"Não adianta pedir para conversar, sendo que não tem com quem conversar. Chega de ficar na praça, falando. Não!. Nós precisamos falar com aqueles que assumam isso aqui", concluiu José Mariano em seu brado por justiça.



Texto:  Martim Vieira - MTB 21.939
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: Tribuna Popular

Notícias relacionadas