PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 11 DE DEZEMBRO DE 2019
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

27 DE AGOSTO DE 2019

A arte é uma ferramenta de transformação social, diz Kado Moura


Munícipe esteve na Câmara nesta segunda-feira para ocupar a Tribuna Popular



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Ele apresentou detalhes da campanha Cultura é segurança pública






A arte é uma ferramenta de transformação social, definiu o munícipe Ricardo Moura, em seu pronunciamento nesta segunda-feira (26), quando se inscreveu para ocupar a Tribuna Popular da Câmara de Vereadores de Piracicaba, na 45ª reunião ordinária.

Conhecido como Kado Moura, ele relembrou que esteve na Câmara há aproximadamente um ano, para tratar da importância da cultura, e que as ideias materializadas na ocasião estão mais concretas, por entender que a cultura também deve ser uma política de segurança pública.

Ele agradeceu aos artistas locais, fazedores de arte, produtores e empresários que teve contato nos últimos tempos. Segundo ele, tais atores possibilitaram o amadurecimento da campanha "Cultura é segurança pública", que envolve artista, sociedade e poder público, a partir dos conceitos de arte, cultura e segurança pública.

Kado Moura utilizou como exemplo a Enciclopédia Britânica para trazer o conceito de arte: "é tudo o que foi criado pelo homem, tudo o que utilizou da imaginação humana para ser criado". Já o termo cultura foi conceituado por ele como o grau de importância que o homem dá a tudo o que foi criado. "A nossa sociedade, hoje, valoriza muito o que é efêmero, mas esquece o que é eterno", disse ele.

Sobre a segurança pública, Kado Moura lembrou que a expressão está incluída no artigo 144 da Constituição Federal. "É dever do Estado e responsabilidade de todos", lembrou ele, ao citar ainda a necessidade de respeito e amor às diferentes formas de existir, fatores que contribuem para gerar um mundo seguro.

Segundo Kado Moura, o objetivo de sua campanha é sensibilizar o artista, a sociedade e o poder público. No caso do artista, para que possa viver da arte e para arte. Para a sociedade civil, para que valorize o artista da cidade, financie e promova a cultura dentro das empresas e gere valor à sociedade. Já o processo de sensibilizar o poder público é importante para que crie mecanismos de independência do artista e que seja seu aliado nas proposituras. "E, principalmente, para pensar e repensar o bem-estar público", conceituou.

"A arte é um caminho a ser percorrido. Que se viva isso", disse Kado, ao defender uma cidade mais desenvolvida, sem violência e preconceito.



Texto:  Rodrigo Alves - MTB 42.583
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tópicos: Tribuna Popular

Notícias relacionadas